Radiação solar X vitamina D : Cuidados com a exposição solar

Banho de sol de 5 a 10 minutos pode oferecer os níveis diários de vitamina D necessários ao organismo

Gabriella Gouveia

Longas horas de exposição não ajudam o organismo a produzir mais vitamina | <i>Crédito: Shutterstock
Longas horas de exposição não ajudam o organismo a produzir mais vitamina | Crédito: Shutterstock

A exposição solar é a principal fonte de suprimento diário de vitamina D - que tem entre suas principais funções auxiliar o organismo a manter os ossos saudáveis. O tempo de exposição solar necessário para o organismo começar a produção da vitamina depende dos níveis de radiação (UVB), do tipo de pele e da quantidade de áreas expostas ao sol.  Mas é preciso atenção: longas horas de exposição não ajudam o organismo a produzir mais vitamina - pelo contrário: apenas aumentam o risco para doenças, como o câncer de pele.

É o que alerta o médico Ronaldo Silva, oncologista do Grupo COI (Clínicas Oncológicas Integradas):


“Aumentar a exposição ao sol não eleva os níveis de vitamina D e acaba aumentando os riscos de envelhecimento da pele, de câncer de pele e de danos aos olhos. A exposição não intencional durante as atividades do dia a dia já é suficiente para satisfazer a dose diária de vitamina D em jovens e adultos de pele clara. No Brasil, onde a intensidade de radiação UVB é alta praticamente em todas as regiões durante o ano inteiro, uma exposição incidental diária de cerca de 5 a 10 minutos, no período entre às 10h e 15h, parece ser suficiente”, aponta o médico.


Incrementar o tempo de exposição à radiação solar não é uma boa opção nem mesmo para indivíduos com risco de deficiência ou com carência comprovada de vitamina D. “Para pessoas com déficit, o indicado é o uso de suplementos e a ingestão de alimentos ricos em vitamina D, seguindo orientação médica”, explica o especialista.


O médico também ressalta que, nas exposições intencionais e de longa duração, o uso de protetor solar deve ser acompanhado por outras medidas de proteção. “Nos períodos de maior intensidade de radiação solar, o recomendado é conciliar o uso do protetor com apetrechos, como camisas de manga longa, chapéus de aba larga, barracas e óculos escuros, além de abrigar-se na sombra”, orienta.




02/01/2017 - 13:00

Conecte-se

Revista Máxima