Biólogo brasileiro forma um verdadeiro exército em defesa dos animais em extinção

O biólogo marinho Alberto Campos (SP), 48 anos, formou com os amigos da faculdade um poderoso exército que protege animais em cinco estados do Nordeste. Assim, eles contribuem para que várias espécies escapem da extinção e os ecossistemas se mantenham saudáveis

por Patrícia Affonso

Biólogo marinho Alberto Campos | <i>Crédito: Ciro Albano/AQUASIS
Biólogo marinho Alberto Campos | Crédito: Ciro Albano/AQUASIS

Em 1992, quando ainda era estudante universitário, percebi em mim e em vários colegas de turma um desejo forte: fazer carreira trabalhando pela conservação da natureza. Motivados por esse sonho e pela falta de uma entidade que nos permitisse realizar tal trabalho, criamos nossa própria instituição de pesquisa e preservação: a Aquasis, que iniciou as atividades nesse mesmo ano. Em 1994, conseguimos registrar nossa ONG como associação sem fi ns lucrativos, com a missão de proteger espécies ameaçadas de extinção e seus habitats. Uma das primeiras ações importantes da Aquasis foi firmar parcerias internacionais, em 1995, para a proteção dos botos da Praia de Iracema, em Fortaleza (CE). Hoje, esse animal é considerado por lei como patrimônio natural da cidade. Outras conquistas foram a construção do Centro de Reabilitação para Mamíferos Marinhos em Caucaia (CE) — que atende animais encalhados em diversos estados do Nordeste — e a criação de reservas particulares para proteção de espécies criticamente ameaçadas de extinção. Atualmente, nossas ações protegem cerca de 22 espécies, dentre elas o peixe-boi marinho, o boto-cinza, o periquito cara-suja e o soldadinho-do-araripe. Nossa sociedade precisa de ecossistemas saudáveis para que a qualidade de vida seja preservada. E cada espécie tem um papel importante na reconstrução e manutenção dos nossos ecossistemas, como por exemplo aves e mamíferos que são polinizadores, dispersores de sementes etc. Nossa organização tem como objetivo evitar que esses animais sumam, para que, no futuro, a humanidade ainda possua todas as peças necessárias para reconstruir o quebra-cabeças da natureza.

PARA COLABORAR: doações ajudam a iniciativa a cobrir as despesas com manutenção de infraestrutura e funcionários. Para dar a sua contribuição, acesse o site aquasis.org

08/01/2018 - 12:42

Conecte-se

Revista Máxima