Detox mental

Você sabia que o uso exagerado das redes sociais provoca quadros de ansiedade, estresse e depressão? Fique atento a essa e outras questões da vida moderna que estão intoxicando a sua mente

Diane Neubüser

Troque as redes sociais por um bom livro | <i>Crédito: Foto Shutterstock
Troque as redes sociais por um bom livro | Crédito: Foto Shutterstock

Conversamos com a psicóloga Lizandra Arita para entender por que os casos de ansiedade, depressão e estresse não param de se multiplicar. Descobrimos que, boa parte deles, pode estar relacionado com maus hábitos cultivados na vida moderna. Confira os detalhes do bate-papo:

Quais são os comportamentos modernos que aumentam a ansiedade, estresse e depressão?

Alguns hábitos atuais estão sobrecarregando as pessoas. O fato de estarmos 100% conectados, 24 horas por dia, por exemplo. Não existe uma máquina que funcione a todo instante, sem pausas. E estamos querendo fazer isso com o nosso cérebro e o nosso corpo. Até quando dormirmos, o celular está ao nosso lado, embaixo do travesseiro... Porque não queremos perder nenhuma notícia, nenhuma mensagem do Whatsapp, nenhuma notificação das redes sociais. A pressão de estar sempre disponível aumenta muito a ansiedade e o estresse. 

Outro ponto é a quantidade de horas dormidas. São necessárias no mínimo de seis a oito horas de sono de qualidade, totalmente relaxado e dormindo profundamente, pois é neste momento que as células de renovam e que há a limpeza emocional. Sem esse tempo fica impossível ter uma vida saudável, tanto no aspecto físico como no emocional. 

De que forma as redes sociais aumentam os níveis de estresse e depressão? 

São várias as possibilidades: A pessoa que é ciumenta demais e fica a todo instante procurando indícios nas redes sociais do parceiro, certamente ela vai elevar seu nível de falta de confiança, medo, rejeição e, claro, ficar estressada. 

Outro dia eu li uma pesquisa que dizia que muita gente não gosta de ver fotos e vídeos dos amigos viajando de férias, conhecendo lugares bonitos e tendo momentos de lazer porque ficam deprimidas, pois isso reforça a sensação de que nunca conseguem fazer nada. 

Todos os nossos sonhos ainda não realizados, quando visualizados no perfil de outra pessoa no Facebook, pode acionar as sensações de derrota, frustração e decepção. Por exemplo, se eu quero muito ter um filho e vejo as pessoas com filhos, se eu quero me casar e vejo fotos de casamentos, se eu quero viajar e vejo as pessoas viajando o mundo. Tudo isso pode reforçar sensações tóxicas dentro de nós. 

Qual o primeiro passo para eliminar um pensamento ruim?

Os pensamentos ruins vêm para todos nós, é inevitável. E aí, temos que combatê-los com um comando positivo. Para tanto, temos que rever os hábitos negativos, como ver coisas ruins, cenas tristes, assistir apenas a jornais com tragédias, falar de coisas negativas. Se não nos alimentarmos com estímulos positivos vai ser muito difícil deixar nossa mente tranquila. Então, a minha dica é: assista vídeos edificantes, palestras motivacionais, exemplos inspiradores, músicas alegres, etc. 

Como posso tornar os meus dias melhores a partir do momento em que acordo?

Acordar e respirar profundamente é a primeira coisa que devemos fazer. Tomar um bom café, para alimentar e nutrir o corpo físico. Também acho importante não entrar em contato logo cedo com notícias tristes, ruins e negativas. Deixe o jornal para depois. Informar-se é importante, sim, mas seja seletivo com as notícias que você lê. Não há necessidade de estarmos em contato com todas as tragédias que acontecem no mundo. Ao contrário, vamos ver coisas bonitas, inspiradoras, positivas. Praticar algum esporte antes de começar a trabalhar também é bem legal para arejar as células e disparar serotonina e endorfina no organismo.

É possível tranquilizar a mente? Quais são os exercícios?

Desligar os aparelhos eletrônicos à noite e controlar seu uso;

Focar nos pensamentos positivos, desviando o foco dos negativos;

Alimentar-se de estímulos positivos, bonitos, inspiradores e edificantes;

Reduzir os vídeos, leituras e notícias negativas;

Praticar exercícios físicos que acalmem (cada um pode descobrir o seu);

Fazer algum trabalho voluntário.

09/08/2017 - 09:03

Conecte-se

Revista Máxima