Dicas de Sabrina Sato para o trabalho, o amor e a felicidade!

Se tem uma pessoa que soube aproveitar um estrelato que poderia ser passageiro e transformá-lo numa carreira meteórica, seu nome é Sabrina Sato. Aos 36 anos, a bela comemora o caminho de sucesso no trabalho e na vida pessoal (que vai de vento em popa)

Diane Neubüser e Patrícia Affonso

Sabrina Sato | <i>Crédito: André Schiliró
Sabrina Sato | Crédito: André Schiliró
Para muitos participantes de reality shows, a experiência rende apenas poucos meses de fama, aparições aqui e ali, e depois... o caminho é o retorno ao anonimato. Quantas vezes a gente já viu essa história se repetir? Com Sabrina Sato, no entanto, o roteiro foi diferente. Apesar de não ter sido vencedora da terceira edição do Big Brother Brasil (2003), da Rede Globo, a bela ganhou um prêmio muito mais valioso: conquistou, para valer, seu espaço no coração do público brasileiro. Primeiro, foram anos de fama como integrante do humorístico Pânico (Band) e, agora, a estrela faz sucesso comandando o Programa da Sabrina, na Record, que vai ao ar todas as noites de sábado. Mas, afinal, qual é o segredo dessa japa, que imprime sua marca e brilho em tudo o que faz? Nossos palpites: altas doses de carisma combinadas a uma humildade linda de ver. Quer saber mais? Confira nosso bate-papo exclusivo.

A que você atribui sua estabilidade e o seu sucesso?
Eu devo isso a todo mundo que acreditou em mim, que trabalha comigo desde o início, à minha família, aos fãs... No meu caso, a receita do sucesso é fazer o que eu amo. Além disso, tem o lance de ter coragem e não desistir. Vivo cada dia como um novo começo, com a mesma motivação. 

Desde o BBB até o Programa da Sabrina, houve momentos em que você percebeu que precisava se reinventar?
Claro! Quando deixei o Pânico, um trabalho de sucesso que eu amava fazer, não foi tranquilo. Tive muito medo. Mas ao mesmo tempo me senti muito amada, recebi força da família, dos amigos. 

A fama não parece um problema para você. Ela nunca incomoda?
Não. Eu não converso com meus fãs e todo mundo porque sou famosa. Gosto disso! Quando alguém pede para tirar foto comigo, até agradeço. A não ser que eu esteja com fome, aí eu não gosto, não (risos). Eu tenho fãs que vão a todos os meus programas, desde o primeiro dia. Tem gente que veio do Nordeste só para me ver. É muita coisa! Então, além de ser grata e gentil, tento ser uma inspiração de coragem, força, batalha e, ao mesmo tempo, mostrar a importância de sermos fiéis às nossas raízes. 

Tem alguma coisa que você aprendeu nos bastidores da fama?
Tive uma educação japonesa, que prega que devemos ouvir e respeitar os mais velhos, porque eles sempre têm algo a ensinar. Isso se repete no mundo artístico: é preciso ouvir as pessoas, especialmente quem já estava lá antes. Somos parte de uma engrenagem e, por isso, um depende do trabalho do outro. Você está onde está apenas ocupando um espaço. O dia em que não estiver, vai ter outra pessoa no seu lugar. Tudo é passageiro. Então você não deve se achar mais ou menos do que ninguém. 

Está gravando vídeos para o seu canal no YouTube também, não é?
Sim! É um espaço para me divertir e poder mostrar outros lados da Sabrina para os internautas. 

Como você e o Duda (Nagle, 34 anos, ator e namorado) se conheceram?
Pelo Instagram. Quer dizer: eu já tinha visto ele, já sabia quem era, ele também já tinha me visto, curtia minhas fotos... Só que aí ele começou a me chamar por mensagens do aplicativo e eu fingia que não via. O meu maquiador, o Markito, teve uma contribuição muito grande nessa história: ele curtia todas as fotos do Dudinha com o meu celular, porque achava ele bonito. Aí a gente começou a trocar mensagens, ficamos conversando um tempão... Daí, após o Carnaval de 2016, marcamos um encontro na minha casa e, desde aquele dia, não nos desgrudamos mais. 

Você tem o sonho de casar e ser mãe. Como seria esse casamento, já pensou?
O Duda diz que imagina o casamento depois do nosso primeiro filho. Não sei se vou esperar, viu? Posso pedir a mão dele antes... Sou eu quem tem que correr atrás de tudo, porque se eu esperar o Duda... Sabe o que eu li sobre os taurinos? Que eles não tomam iniciativa. Mas uma coisa eu já sei: quero um vestido de manga comprida, gola alta, só com a carinha de fora. Vou ser uma noiva bem clássica e chique. Se eu estiver magrinha vai ser uma saia princesa. Se eu estiver mais cheinha ou grávida, saia reta. 

O que é essencial para você em um relacionamento?
Hoje acredito que além da paixão, do amor e do respeito é essencial que os valores sejam parecidos. A admiração também. Para nós, mulheres, o tesão está totalmente ligado à admiração. Eu admiro tudo no Duda, ele é uma pessoa muito leve. 

E o que é intolerável?
Eu não suporto infidelidade nem relacionamentos abusivos. Sempre fui do tipo que se um cara me colocava para baixo eu pensava: “Isso não está certo”. O Duda é uma pessoa que me ajuda, me admira, tem orgulho. Ele não tenta me controlar. Pode até não entender algum ponto de vista ou escolha, porém me respeita. 

Tem alguma atitude sua que você mudou por causa de relacionamentos passados?
Eu aprendi a conversar e a falar baixo. A gente tem que sentar com a pessoa e dizer “Eu não gostei disso”, “Acho que a gente tem que melhorar aqui”... Mas para isso você não pode estar com a emoção à flor da pele. É um saco, porém tem que esperar a poeira baixar (risos). 

Já abriu mão de alguma coisa para o seu relacionamento atual dar certo?
Várias vezes eu desejo sair e nós não vamos porque ele está cansado. Eu tenho um espírito adolescente, quero fazer festa todo final de semana. Já o Duda é muito caseiro. 

Teme envelhecer?
Não tenho esse medo, não! Admiro muitas mulheres mais velhas, tenho referências positivas. Tenho certeza de que vou ser muito feliz quando eu for uma vovó maravilhosa, que toma whisky, joga baralho com as amigas, passeia com os netos, viaja pelo mundo todo, faz esporte... Quando o assunto é a parte física, temos tantos recursos hoje, né? Estou com 36 anos, mas me sinto com 30. No entanto, não posso esquecer a minha idade biológica e, por isso, preciso ter um fi lho logo. Senão eu bem que esperaria mais uns anos para a maternidade.

Pensa em investir em recursos como cirurgia plástica e Botox?
Já estou querendo marcar um Botox, porque sou muito expressiva e algumas coisas já aparecem. Plástica, ainda não. Tudo nessa vida é bom senso. A verruga que tenho na testa, por exemplo: até hoje o povo fala para tirar, que é nojenta... Mas, gente, não seria pior se eu não me aceitasse do jeito que sou? Acho tão bom quando a gente se aceita. Hoje em dia se fala tanto de diversidade. Sempre vi beleza naquilo que é diferente e de verdade. 

Como mantém sua rotina fitness?
Mais ou menos fitness, na verdade. Esta semana, por exemplo, só treinei um dia, porque trabalhei demais. Eu gosto de me exercitar, por isso sempre que posso eu vou. Faz bem para minha cabeça, para o humor. Pratico muay thai, corrida e ioga. 

E com a alimentação, você segue alguma rotina ou cuidado especial?
Apenas em certas épocas. Mas no dia a dia meu truque é comer em grande quantidade o que faz bem e é magrinho e em pequenas porções aquilo que engorda. Claro que às vezes eu saio da linha e enfio o pé na jaca — afinal, ninguém é de ferro! 

Você está com um visual mais sofisticado...
Sou muito ligada em moda. Tem uma herança familiar aí, pois meu avô era alfaiate e a minha avó, costureira. Passo horas buscando referências em revistas, na internet, sigo muita gente desse universo nas redes sociais. Adoro street style e gosto de ousar, de aparecer diferente, mesmo que todo mundo torça o nariz. Eu curto o conceito, a arte que envolve a moda. 

Qual é o seu segredo para estar sempre de bem com a vida?
Fazer o que eu amo. Mas não é sempre que a gente tá de bem com a vida, não. Tem dias nos quais me sinto um lixo. Aí, faço questão de expulsar rapidinho esses pensamentos da mente. 

Como faz isso?
Eu acho que a primeira coisa que a gente tem que fazer nessas situações é ficar com as pessoas que amamos. Sair um pouco da internet também ajuda. Quando você passa muito tempo olhando as redes sociais parece que a vida dos outros é perfeita e a sua, uma droga. É uma ilusão! 

Se pudesse mudar alguma coisa na sua vida, hoje, o que seria?
Se eu pudesse fazer três pedidos para o gênio da lâmpada, ia pedir meus filhos aqui já do meu lado, um de cada tamanho. Queria uma criança com poucos meses para eu poder amamentar, outra com uns 2 aninhos... O próximo pedido seria comer e não engordar. E o terceiro seria melhorar a vida das pessoas que precisam e acabar com as guerras.

14/07/2017 - 11:22

Conecte-se

Revista Máxima