Dicas para evitar as complicações do refluxo e fugir dos medicamentos

O problema digestivo que atinge mais de 20 milhões de brasileiros merece atenção: quando não tratado, pode evoluir para um câncer. Vamos evitar?

Texto: Diane Neubüser

Refluxo | <i>Crédito: Shutterstock
Refluxo | Crédito: Shutterstock
Azia, tosse, rouquidão, mau hálito, dor de garganta, afta e pigarro são alguns dos sintomas do refluxo gastroesofágico. No entanto, por serem considerados corriqueiros, muitas vezes eles são ignorados ou camuflados com automedicação. É aí que mora o perigo. “Sem o tratamento adequado, o problema se agrava, provocando náusea, sensação de sufocamento noturno e dores torácicas intensas. Ainda tende a levar ao aparecimento de úlceras e câncer”, avisa Eduardo Grecco, gastrocirurgião e endoscopista do Instituto Endovitta (SP). O refluxo surge quando o esfíncter, um conjunto de fibras musculares que impedem que os alimentos retornem, não fecha direito. Daí, partículas de comida misturadas com o suco gástrico do estômago retornam para o esôfago e a garganta até chegar à boca. Essa substância é extremamente ácida e acaba ocasionando lesões por onde passa. Solução: adote uma alimentação balanceada, pare de fumar e ingerir bebida alcoólica e controle o peso. Invista nos hábitos a seguir e amenize o incômodo.

FUJA destes alimentos
A popular azia é um sintoma do refluxo gastroesofágico. Assim como a doença, ela pode se manifestar em crises pontuais ou, então, tornar-se um mal crônico. Em todo caso, evite as comidas que já são conhecidas provocadoras das queimações: álcool, café, refrigerante, chocolate, frutas e sucos cítricos, tomate, pimentas, frituras, derivados de leite integral, menta e hortelã.

BEBA chás digestivos
Facilitar a digestão é o caminho para diminuir as chances de a comida ficar “entalada” e voltar para a garganta. Experimente tomar uma xícara de chá-verde, de camomila ou de gengibre depois das principais refeições.

NÃO se aperte
Roupas justas e cintas compressoras são proibidas para quem sofre de refluxo. Elas apertam o estômago e facilitam o retorno de fluidos para o esôfago.

DURMA segura
Use travesseiros que deixem a sua cabeça mais elevada em relação ao corpo — isso ajuda a prevenir o retorno do suco gástrico. Após as refeições, espere pelo menos duas horas para se deitar.

29/12/2016 - 12:23

Conecte-se

Revista Máxima