Tem que malhar!

A maioria das mulheres só pensa em emagrecer — em fortalecer os músculos, nem tanto. Mas, para a ciência, é melhor ser malhada do que magra! Saiba por quê

Texto: Carmen Cagnoni

Para a ciência, é melhor ser malhada do que magra! | <i>Crédito: Shutterstock
Para a ciência, é melhor ser malhada do que magra! | Crédito: Shutterstock
Num relatório publicado no periódico British Medical Journal, especialistas ingleses afirmam que combater a obesidade só com dieta não é o caminho para ter saúde — mexer o corpo também é essencial. Segundo eles, exercitar-se regularmente faz com que vivamos mais e melhor. “Há mulheres que estão com o peso saudável, mas apresentam problemas de saúde, e outras acima do peso supersaudáveis. Por isso, hoje a medicina prefere qualificar o peso a quantificá-lo”, diz o médico do esporte Guilherme Corradi (SP). Para entender essa relação, aqui vai um exemplo: uma pessoa de 90 kg pode ter uma constituição de massas gorda e magra diferente de outra com o mesmo peso. Quem possui menos gordura e mais músculos e água é mais saudável. Resumindo, não basta ser só magro, é preciso ser malhado também.

BONS HÁBITOS

Quando você diz não ao sedentarismo, vários benefícios aparecem. A atividade física, por si só, protege o corpo contra doenças e também pode ajudar a reduzir as preexistentes. Um estudo da Universidade de São Paulo (USP) apontou que os exercícios aeróbicos, sobretudo os aquáticos, diminuem em até 70% os sintomas da asma. “A prática melhora a condição física do asmático, pois aumenta a resistência e fornece reservas para enfrentar as crises obstrutivas”, garante a médica especialista em alergologia e pneumologia Lelia Josuá (SP). Outro estudo, divulgado na Escócia, mostra que mulheres que se exercitam vigorosamente uma hora por dia reduzem em até 11% o risco de câncer nos seios. Tanto que a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que 25% dos casos de câncer de mama e de cólon poderiam ser evitados se os pacientes praticassem duas horas e meia de exercícios semanais. Isso significa que devemos abandonar a dieta e correr para a esteira? Se você vive só de regime, sim. É mais importante a frequência e o tempo de atividade física que você realiza (o ideal são 30 a 60 minutos por dia), uma vez que o exercício também diminui os riscos de elevar o peso. Mas malhar não dá o direito de se alimentar mal. “A atividade física aumenta a massa muscular, a densidade da massa óssea, a força e a resistência. Isso mantém o corpo saudável e com energia para o dia a dia”, explica a personal trainer Iva Bittencourt (SP). Convencida de que precisa malhar? Saiba por onde começar...

NA PRÁTICA

Antes de iniciar a malhação, procure orientação médica para verificar o tipo de atividade física ideal para você. “Movimentos de flexão e torção da coluna, por exemplo, se não forem realizados corretamente, podem evoluir para problemas sérios”, avisa Helder Montenegro (SP), fisioterapeuta e diretor do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral. Faça uma avaliação clínica, cardiológica e ortopédica e siga a orientação de um profissional de educação física, que irá preparar o melhor programa para você. Confira algumas dicas de Iva Bittencourt para evitar riscos:

Ao caminhar

❚ Comece devagar e deixe para aumentar a intensidade depois da primeira semana. Iniciante: caminhe duas vezes por semana durante 40 minutos — em torno de 3 a 4 km. Intensifique a atividade aos poucos até chegar a 60 minutos de caminhada cinco vezes por semana (4 a 6 km). Mesmo em ritmo avançado, é importante respeitar um descanso de pelo menos um ou dois dias por semana. 

❚ Dores nos pés pedem o teste da pisada e um tênis adequado. Procure lojas que fazem o exame gratuitamente. 

❚ Use roupas confortáveis e dê preferência aos tecidos que absorvem o suor. 

❚ Fique atenta à hidratação. O mais indicado é tomar de 400 a 600 ml de líquidos duas horas antes do início do treinamento, e durante a prática esportiva ingerir 100 ml de água fria a cada 20 minutos. Nas duas primeiras horas após o treino, prefira bebidas geladas, pois elas aceleram a absorção de líquidos, aumentando o volume de plasma no sangue. 

❚ Faça um bom alongamento no final da atividade para relaxar o corpo e melhorar a postura.

Nos aparelhos da praça

❚ Defina um treino com um profissional especializado. 

❚ Se não for possível, para não ter erro, comece com uma sessão leve e faça duas séries de 15 repetições duas vezes por semana. Depois aumente para três séries de 20 repetições e mantenha a frequência de três a quatro vezes na semana.

Ao seguir uma videoaula de ginástica em casa

❚ Certifique-se de que o profissional é formado e está apto a prescrever a aula. 

❚ Depois, avalie se o treino é adequado ao seu perfil: iniciante, intermediário ou avançado. 

❚ Tenha cuidado, pois nem tudo que se vê pode ser feito por todos. Existem movimentos que não devem ser realizados por pessoas com determinados problemas, como hérnia, desgastes articulares, alterações cardíacas e hipertensão.

17/06/2016 - 13:15

Conecte-se

Revista Máxima