5 dicas essenciais para sua alimentação

Entenda melhor sobre nutrição e a importância dela para nossa saúde

Gabriella Gouveia

O chocolate amargo pode reduzir os efeitos negativos do estresse no corpo | <i>Crédito: Shutterstock
O chocolate amargo pode reduzir os efeitos negativos do estresse no corpo | Crédito: Shutterstock

Perder peso, começar alguma atividade física ou praticar um esporte estão sempre entre as principais resoluções de um novo ano. Mas se você acha que não consegue cumprir estas metas, não desista ainda. A nutrição tem um papel fundamental no compromisso de uma pessoa com saúde, e seus benefícios duradouros vão além da balança. Aqui estão cinco dicas de alimentação da Abbott que podem lhe ajudar em 2017:


1. Perca mais peso com a alimentação do que com exercícios

Exercícios são importantes para a saúde geral, mas se você acha que é um objetivo difícil demais, pense primeiro na alimentação. De acordo com um estudo¹, ao comparar a dieta com exercícios, a alimentação saudável leva a uma perda de peso significativamente maior do que os exercícios, bem como a uma maior perda de massa gorda.

 “Uma alimentação saudável garante mais energia para a prática de exercícios e eles, por sua vez, exigem mais nutrientes do corpo. Sendo assim, a escolha correta dos alimentos é fundamental para quem deseja se exercitar”, conta Patricia Ruffo, nutricionista e Gerente Científico da Divisão Nutricional da Abbott no Brasil.


2. Controle o estresse com dieta – e chocolate

Comer por estresse pode ser bom desde que você o faça da maneira certa. Nutrientes como ômega 3, vitamina E e polifenóis, um composto encontrado em mirtilos (blueberry) e o chocolate amargo podem reduzir os efeitos negativos do estresse no corpo.

Nutrientes de alimentos saudáveis podem ajudar a melhorar o fluxo sanguíneo, o que combate os efeitos do estresse. Uma dieta saudável tem um efeito cascata, pois na medida em que melhora o fluxo sanguíneo, ajuda a levar ingredientes essenciais ao cérebro e a construir uma base sólida para o corpo, reduzindo a oxidação e a inflamação. E isso pode ajudar a diminuir o ganho de peso associado ao estresse.


3. A água e a circunferência de sua cintura

O corpo humano é composto por aproximadamente 60% de água e mantê-lo bem hidratado ajuda no seu funcionamento apropriado. Mas você sabia que tomar água antes de uma refeição pode ajudar a diminuir a circunferência da cintura?

No estudo publicado no periódico Obesity², os participantes foram orientados a consumir 500 ml de água 30 minutos antes das refeições com o objetivo de aumentar a saciedade e constatou-se que a ingestão de água antes das refeições pode levar a uma perda moderada de peso.

Além deste benefício, a ingestão adequada de água evita a desidratação que pode resultar em fadiga e falta de concentração. A hidratação também é fundamental durante exercícios físicos. No entanto, a água pode ser ingerida de diversas fontes, incluindo frutas, sucos, legumes e até mesmo café.


4. Mude seu prato conforme envelhece

Os gostos mudam com a idade, e o mesmo acontece com as necessidades nutricionais. Os nutrientes dos alimentos que mantinham o corpo funcionando aos 20-30 anos podem não ser mais usados e absorvidos da mesma forma com o passar do tempo.

“É necessário ajustar nossas escolhas alimentares conforme envelhecemos. Isso significa consumir alimentos ricos em nutrientes como frutas e legumes coloridos, leite e queijo sem gordura, grãos integrais, frutos do mar, carnes magras, aves, ovos, leguminosas, castanhas e sementes. Além disso, uma dieta saudável evita a desnutrição e possíveis doenças”, explica Patricia Ruffo.


5. Mantenha um corpo saudável para a maternidade

A alimentação adequada afeta a saúde reprodutiva de uma mulher já na puberdade³ (período de transição entre a infância e a adolescência). Uma dieta equilibrada pode interferir na qualidade dos óvulos a qualquer momento, desde a concepção e nascimento da própria mulher até o momento em que ela gera um filho. Entretanto, se uma boa alimentação não foi uma prioridade antes, nunca é tarde demais para começar, incorporando alimentos saudáveis com os nutrientes adequados.

“Como é comum mulheres jovens terem deficiência de ferro, iodo, ácido fólico, vitamina B12, cálcio e vitamina D, elas devem incluir em suas dietas alimentos ricos nesses nutrientes, como verduras verde-escuras, laticínios, cereais fortificados, peixes e tofu”, conclui Patricia Ruffo.

 

13/03/2017 - 11:00

Conecte-se

Revista Máxima