8 problemas causados por excesso de exposição ao sol

Sol é vida, fonte de vitamina D, ajuda na produção de hormônios importantes para o corpo, melhora a imunidade... No entanto, sem os cuidados adequados, ele pode causar prejuízos. Veja os principais e entenda a importância de se proteger:

Máxima Digital

É importante tomar sol com cautela para evitar prejuízos | <i>Crédito: Shutterstock
É importante tomar sol com cautela para evitar prejuízos | Crédito: Shutterstock

1 – Queimaduras: quem já foi à praia e teve que tratar queimaduras de sol sabe o terror dessa situação. O excesso de exposição em horários de alta radiação podem causar queimaduras severas, principalmente em crianças e em pessoas de pele muito clara. Prevenir e evitar os horários entre 10h e 16h é a melhor estratégia. Mas o uso de protetor solar e roupas com proteção UV são outras ferramentas disponíveis para se proteger.

2 - Envelhecimento precoce: quanto mais tomamos sol sem proteção, mais sofremos com o envelhecimento precoce da pele, conhecido também como fotoenvelhecimento. Entre os efeitos indesejáveis estão o aparecimento de rugas e manchas.

3 - Problemas de visão: muita luminosidade pode causar problemas de visão, como catarata e até câncer de pele nas pálpebras. Os problemas de visão associados a exposição ao sol são muitas vezes causados por queimadura da córnea. É importante tomar cuidado e para se proteger, use sempre óculos escuros com bons filtros de absorção de radiação UVA/UVB, e bonés para proteção dos olhos. 

4 – Acne: para os que já possuem a pele oleosa, o sol causa irritações na pele que faz com que ela produza mais sebo. A sudorese exacerbada também abre espaço para a acne se instalar. Para não acentuar esses fatores, use produtos que sejam oil free.

5 - Alergia ao sol. aproximadamente 5 a 10% da população apresenta alergia ao sol. Essas se manifestam na pele por vermelhidão, coceira, erupção cutânea (na forma de urticária) e fotossensibilidade. Se você tem essa condição, evite ao máximo se expor ao sol sem o uso de roupas com proteção UV. 

6 – Melasmas: são manchas de cor marrom causadas pela exposição excessiva e prolongada ao sol durante a vida. Diferente das queimaduras que causam vermelhidão e danos imediatos, os melasmas surgem com longos anos de exposição. Geralmente aparecem nas mãos, braços e rosto. Para evitar, use sempre protetor solar e bonés fabricados com tecido de proteção UV.

7 – Queratose:  a queratose se caracteriza por feridas ásperas e pequenas que nunca saram e normalmente aparecem após a exposição ao sol. É importante evitar e tratar imediatamente essas feriadas. A chance de uma queratose virar câncer de pele é de cerca de 20%.

8 - Câncer de pele: certamente essa é a consequência mais terrível e perigosa da exposição ao sol, porém não é tão temida como deveria ser. O câncer de pele atinge a derme e pode se dividir em carcinona basocelular, espinocelular e melanoma, sendo essa última uma das doenças mais letais. No Brasil o câncer de pele é o mais frequente, correspondente a 30% de todos os tumores malignos registrados. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), são cerca de 176 mil novos casos por ano no país. 

Fonte: Victor Peixoto, dermatologista e consultor da marca Litonaneus (PE).

05/01/2018 - 10:00

Conecte-se

Revista Máxima