Abecedário das pintas

Você sabe quando uma simples pinta pode representar um problema e pede uma avaliação médica? A gente ensina

Máxima Digital

Saiba quando a presença das pintas pode indicar um problema | <i>Crédito: Shutterstock
Saiba quando a presença das pintas pode indicar um problema | Crédito: Shutterstock

Inofensivas a princípio, as pintas podem representar problemas quando apresentam certas alterações. Um dos males mais temidos com relação a esses sinais é o melanoma. "Esse tipo de câncer pode ser identificado pela regrinha ABCD, que significa assimetria, borda, cor e diâmetro", explica a dermatologista Samantha Enande (SP). O melhor é buscar uma clínica especializada para fazer o diagnóstico. Lá, o especialista usa o dermatoscópio, que aumenta a imagem em 400 vezes, garantindo mais precisão. Porém, o autoexame é um bom ponto de partida. Veja como realizá-lo:

Assimetria
A pinta possui quatro quadrantes: direito, esquerdo, superior e inferior. Se um deles tem desenho assimétrico, vale a pena ficar de olho.

Borda
Uma pinta inofensiva tem as extremidades contínuas, sem nenhuma falha.

Cor
A coloração deve ser uma só. Se ela tiver multitons de marrom, preto ou azul-marinho, merece cuidado.

Diâmetro
Repare se a pinta cresce, e rápido. Especialmente aquelas localizadas no rosto, onde há mais exposição aos raios solares. "Em 98% dos casos, o câncer é causado pelo sol", afirma a dermatologista.

01/07/2017 - 11:00

Conecte-se

Revista Máxima