Atividade física na infância: quanto antes, melhor!

Quanto mais a criança fizer esportes nos primeiros anos de vida, maior a chance de continuar com a prática nos anos seguintes

Raquel Maldonado

Combater o sedentarismo faz parte das ações para diminuir a obesidade infantil | <i>Crédito: iStock
Combater o sedentarismo faz parte das ações para diminuir a obesidade infantil | Crédito: iStock

Um levantamento liderado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que se não houver mudanças nos hábitos dos nossos pequenos, o Brasil terá 11,3 milhões de crianças obesas até 2025. Hoje, 12,7% dos meninos estão obesos e 9,4% das meninas têm o mesmo problema. Para combater esse mal, dois caminhos: alimentação saudável e prática regular de atividade física. E se você tem dúvidas se já é hora de colocá-lo em algum esporte, aqui vai uma informação importante: um estudo feito com a participação da USP (Universidade de São Paulo) mostrou que quanto mais a criança fizer esportes nos primeiros anos de vida, maior a chance de continuar com a prática nos anos seguintes.

“Fornecer oportunidades adequadas de participação em esportes e de desenvolvimento das habilidades motoras durante a infância promove um impacto positivo na qualidade de vida e no combate a uma série de doenças associadas ao sedentarismo. Em outras palavras, a promoção da atividade física e esportiva na infância é uma importante estratégia de saúde pública”, destaca o professor Alessandro Hervaldo Nicolai Ré, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, em entrevista ao Jornal da USP.

Recomendações
Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), crianças até os dois anos devem ser incentivadas a serem ativas, mesmo por curtos períodos, várias vezes ao dia. As que já conseguem andar sozinhas devem ser estimuladas fisicamente ao longo de todo o dia. Vale fazê-los ficar em pé movendo-se, rolando, brincando, saltando, pulando ou correndo.

Dos três a cinco anos, a criança deve acumular pelos menos 3 horas de atividades físicas de qualquer intensidade, distribuídas ao longo do dia, incluindo ações que desenvolvam a coordenação motora. Brincadeiras na água, andar de bicicleta e jogos com bola são adequados ao grupo.

Já dos seis aos 19 anos elas devem acumular pelo menos 1 hora por dia de atividades físicas, com intensidade de moderada a vigorosa (com respiração acelerada e batimento cardíaco mais rápido). Segundo a SBP, as atividades intensas que ajudam no fortalecimento e desenvolvimento de músculos e ossos devem ser feitas pelo menos três vezes por semana.

Vale lembrar que o mais importante não é a modalidade esportiva praticada pela criança, mas o prazer que ela sente fazendo aquilo. É isso que vai despertar o interesse dela pela prática esportiva a vida toda!

09/01/2018 - 16:59

Conecte-se

Revista Máxima