Você está passando o repelente do jeito certo?

Produto deve ser utilizado até três vezes ao dia e eliminado com água e sabonete antes de dormir

Máxima Digital

As crianças não devem passar o produto sozinhas | <i>Crédito: iStock
As crianças não devem passar o produto sozinhas | Crédito: iStock

Se engana quem pensa que é só colocar um pouquinho do creme nas mão e espalhar no corpo. Alguns cuidados específicos devem ser tomados para que o repelente tenha ação efetiva e realmente previna picadas de insetos, como as do mosquito aedes aegypti, que transmite doenças como dengue, zika vírus e febre chikungunya. A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) dá todas as dicas:
 
1. O repelente vai depois do protetor solar
Passe o filtro na pele e aguarde uns 15 minutos até que o corpo tenha absorvido o produto completamente. Então, aplique o repelente.

2. Não exagere na quantidade
Como o produto contém substâncias tóxicas, ele não deve ser usado em excesso. "Aplique no máximo três vezes ao dia e, antes de dormir, tome banho com sabonete para que o produto seja eliminado da pele. Em casos de ferida e machucado, não é indicado utilizar o produto, pois a substância pode agravar o estado e atrasar a cicatrização”, alerta Rodrigo Lima, diretor da SBMFC.
 
3. Lave as mãos após a aplicação
O hábito faz com que o produto não entre em contato acidentalmente com boca, olhos e nariz.

4. Bebês de até seis meses não devem usar repelente
Não há nenhum produto registrado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que assegure o uso nessa faixa etária. As orientações são as seguintes: proteger a criança com roupas leves, porém compridas, e utilizar mosqueteiro na hora em que a criança for dormir. “Os pais ou cuidadores devem verificar se nos colchões, lençóis, travesseiros e em áreas como cantos de parede e embaixo do berço não há nenhum inseto antes de colocar a criança para dormir”, orienta Lima.

01/01/2018 - 08:06

Conecte-se

Revista Máxima