Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Embaixo do guarda-sol também queima!

Além de não proteger contra os raios ultravioleta (UV), o acessório pode aumentar o risco de lesões na pele. Entenda

Diane Neubüser Publicado em 13/01/2018, às 15h00 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Pesquisa revela que guarda-sol não protege contra queimaduras solares
Pesquisa revela que guarda-sol não protege contra queimaduras solares - Shutterstock

Um estudo publicado pela revista acadêmica Photochemical & Photobiological Sciences revelou que o guarda-sol não é suficiente para proteger a nossa pele contra a ação dos raios UV e infrared (de calor). Mais: A falsa sensação de sombra fresquinha ainda pode aumentar o risco de queimaduras, já que não sentimos que a pele está sob ataque.

"Ir para a praia é como entrar em uma cama de bronzeamento gigante. A radiação não vem apenas na exposição direta ao sol, mas a areia e a água também refletem o UVA e UVB", explica a dermatologista Cláudia Marçal. Daí, mais uma vez a necessidade de aplicar protetor solar - mesmo quando não houver a intenção de ficar diretamente exposta sob o sol. Só assim para evitar o envelhecimento precoce da pele, lesões e até doenças como câncer.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI