Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Beleza » Que tal?

A melhor época para o peeling é agora! Dermatologista esclarece 7 dúvidas sobre o tratamento queridinho do inverno

O peeling melhora manchas e promove a renovação celular por meio do desgaste da pele em diferentes níveis de profundidade

Máxima Digital Publicado em 23/08/2020, às 20h00

Você já sabe tudo que precisa sobre o peeling de pele?
Você já sabe tudo que precisa sobre o peeling de pele? - Freepik

Na época mais fria do ano, como a que estamos, os peelings entram em ação como uma excelente opção de tratamento para tratar manchas, marcas mais profundas e até cicatrizes.

Sem a interferência constante do sol, o inverno passa a ser o queridinho dos apaixonados pelo procedimento!

Além de atuar nas manchas, ele também é muito indicado para fechar os poros e para preparar a pele para receber procedimentos mais agressivos, como o bronzeamento, por exemplo.

NO QUE CONSISTE A TÉCNICA?

A técnica remove as camadas mais superficiais da pele, seja com uso de produto químico, físico ou por meio de laser, e provoca a destruição controlada de parte ou de toda a epiderme, esfoliando e removendo marcas, dando início a uma nova formação de tecido dérmico e epidérmico, quando a pele se reestrutura e se renova, estimulando a produção de colágeno, principal substância que dá firmeza à pele.

Segundo a dermatologista Dr.ª Valéria Campos "o peeling é realizado com a intenção de promover a descamação e a posterior renovação celular. As intensidades são diferentes e vão variar de acordo com o resultado que o paciente deseja alcançar e a profundidade da pele que será atingida para aquele tratamento em específico".

PARA QUÊ SÃO INDICADOS?

Neste sentido, os peelings são indicados como opção para tratamentos de rejuvenescimento, manchas de pele, cicatrizes de acne, melhorar a aparência, entre outros.

Como as reações pós tratamento podem ser um pouco desconfortáveis, a especialista lista abaixo as principais dúvidas sobre o assunto:

- Peeling e Inverno: o fato de estarmos menos expostos ao Sol é o grande motivo de o procedimento ser mais indicado no inverno. A época é mais propícia e eleva o nível de segurança do tratamento. Além disso a recuperação também é mais confortável.

- Tipos de Peeling e qual escolher: São dois tipos principais, que se diferenciam pelos mecanismos de ação de cada um deles e a profundidade de alcance.

Os químicos são feitos com a aplicação de ácidos isolados ou combinados.

Os físicos, quando os processos de retirada de células mortas é feito mecanicamente, sem depender de reações químicas.

"O peeling de cristal, por exemplo, apesar de não ser novo, ainda é bastante procurado. Ele promove uma microdermoabrasão na pele, valendo-se de cristais muito finos de hidróxido de alumínio, reduzindo poros, renovando as células mortas e estimulando a produção de colágeno", garante a dermatologista.

- Frequência do tratamento: a frequência vai depender de uma avaliação do paciente junto ao médico, mas quando o procedimento for superficial pode ser feito com intervalos de 15 dias, ou uma vez por mês. Já os mais profundos podem ser feitos a cada seis meses.

- Contraindicações: A única contraindicação é se o paciente tiver alergia aos ácidos da formulação ou a algum componente químico. Também não é indicado no caso de feridas na pele e em pessoas com herpes ou rosácea.

- Grávidas: Os peelings que não são à base de ácidos e substâncias químicas podem ser realizados em gestantes sem causar danos ao bebê. Na gestação o mais recomendado é o peeling de cristal, isso porque o procedimento é uma microdermoabrasão com grãos de cristais que esfoliam a pele, não é muito agressivo e nem possui ácido em sua composição.

- Idade: Não existe idade ideal, vai depender da indicação clínica. Adolescentes que sofrem com acne podem optar pelo peeling, assim como adultos para prevenir o envelhecimento e em pessoas mais maduras para auxiliar na renovação da pele.

Reações: Logo após o procedimento pode ocorrer descamação, vermelhidão e aspecto de pele áspera, mas é só borrifar água termal gelada no local várias vezes ao dia para acalmar a pele, assim como usar hidratantes adequados à base de ativos calmantes que também podem auxiliar nessa etapa pós-peeling.

Precauções: É recomendado o uso de protetor solar para proteger a pele, não pegar sol no local e evitar puxar as camadas da pele que vão saindo, assim o efeito é ótimo e evita o aparecimento de manchas.


Sobre Dra. Valéria Campos

Dra. Valéria Campos é médica pela Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (UNESP) Botucatu. É especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Mestre pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Dra. Valéria Campos é membro do Departamento  de Laser da SBD entre os anos de 2015-2016, sendo especialista no assunto pela Harvard Medical School e pelo Massachussets General Hospital. Dra. Valéria Campos também é membro do Comitê Internacional da Revista Dermatologia & Cosmética da España.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI