Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Beleza / Procedimentos estéticos

Procedimentos estéticos no inverno: quais os mais indicados para a pele?

Segundo o especialista Danilo Bravo, peelings e tratamentos a laser devem ser feitos, de preferência, na estação mais fria do ano

Máxima Digital Publicado em 17/08/2021, às 16h00

Procedimentos estéticos no inverno: quais os mais indicados para a pele? - Freepik
Procedimentos estéticos no inverno: quais os mais indicados para a pele? - Freepik

Quando falamos de cuidados com a pele no inverno, a necessidade de aliviar o ressecamento é a primeira coisa que vem à mente. Porém, essa estação não combina somente com o uso de produtos hidratantes: é também a melhor época para investir em procedimentos estéticos como peelings químicos, microagulhamentos e tratamentos feitos com laser.

"O principal motivo é que, durante esse período, acabamos não nos expondo tanto ao sol, uma vez que a incidência solar e de raios UV diminuem. Vários desses procedimentos atuam impactando as camadas mais superficiais da pele, o que a torna muito mais sensível e exposta. Não à toa, ela tende a ficar mais irritada e apresentar descamação”, explicou o especialista Danilo Bravo.

Apesar de a estação no Brasil não ser tão fria, a temperatura mais baixa nesse período pode tornar alguns procedimentos um pouco mais confortáveis para os pacientes.

“Após o procedimento, é comum que haja ardência na região da pele trabalhada. Um clima mais ameno pode, sim, auxiliar na recuperação do indivíduo”, aponta. “E para uma cicatrização eficaz, após esse dano controlado causado por esses procedimentos, o paciente em questão também não pode se expor ao calor, para evitar manchas e o escurecimento da pele”, acrescentou Danilo.

De acordo com o especialista, os tratamentos mais indicados para o inverno são, entre outros, os peelings químicos médios e profundos, lasers ablativos, como o laser de CO2, e microagulhamentos.

O peeling químico funciona com a aplicação de ácidos sobre a pele para retirar as camadas danificadas e promover o crescimento de uma pele mais lisa. Já o laser de CO2 é indicado para o rejuvenescimento da pele através do combate às rugas de todo o rosto, sendo também recomendado para diminuir manchas e cicatrizes de acne. O microagulhamento, por sua vez, trata-se de uma estimulação natural da pele, feita com micro-agulhas que penetram na derme favorecendo a formação de novas fibras de colágeno.

“Ao serem realizados no inverno, é possível aumentar a potência dos lasers e peelings com menor risco de complicações. Isso ajuda bastante a chegar ao efeito desejado, com maior clareamento e uniformidade da pele tratada”, disse.

Além disso, problemas de pele, como o melasma, quando tratados no inverno, apresentam resultados ainda mais satisfatórios, como explica o médico.

“O melasma, condição conhecida por fazer surgir manchas escuras na pele, afeta muitos homens e mulheres por aí. Mas pouca gente sabe que ela costuma apresentar uma melhora significativa no inverno durante seu tratamento. Isso porque o seu fator desencadeante são os raios UV e infravermelhos, que são mais intensos no verão”, explicou Danilo.

Ainda que a exposição ao sol geralmente seja menor no inverno, é preciso tomar vários cuidados ao realizar procedimentos estéticos. “Cada técnica tem recomendações específicas após sua realização, mas, em todos os casos, sabonetes suaves e produtos hidratantes são bem-vindos, para ajudar a cicatrizar a pele. O filtro solar também é essencial, sempre”, disse o especialista.

Vale ressaltar que os mesmos tratamentos também podem ser feitos em outras estações do ano. Porém, os cuidados no pós-procedimento devem ser redobrados. “Quanto mais você cuidar, melhor será para sua pele, para a prevenção do envelhecimento e para a sua saúde”, finalizou.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI