Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Comportamento » Vencedora

Após premiação, psicóloga analisa vitória de sul-africana como Miss Universo: "Contribui para que a criança cresça com a autoestima mais elevada"

A sul-africana Zozibini Tunzi recebeu hoje o título de Miss Brasil 2019. A psicóloga Ellen Moraes Senra comentou sobre o preconceito enfrentado e discutido pela campeã

Maria Fernanda Favoretto Publicado em 09/12/2019, às 17h38

Após premiação, psicóloga analisa vitória de sul-africana como Miss Universo: "Contribui para que a criança cresça com a autoestima mais elevada"
Após premiação, psicóloga analisa vitória de sul-africana como Miss Universo: "Contribui para que a criança cresça com a autoestima mais elevada" - Instagram

A vitória de Zozibini Tunzi como Miss Universo 2019 ficará marcada para sempre em nossas memórias. O título disputado por 90 mulheres ocorreu na cidade de Atlanta, nos Estados Unidos. O segundo lugar ficou com a porto riquenha Madison Anderson, e o terceiro com a mexicana Sofía Aragón.

Em seu discurso, a sul-africana fez questão de encarar e falar sobre preconceito, racismo e machismo.

A psicóloga Ellen Moraes Senra, especialista em Terapia Cognitivo Comportamental, avaliou algumas falas da mais nova Miss Universo e ainda analisou qual a importância para crianças negras, mais especificamente às meninas, de ver uma mulher negra receber um prêmio deste porte. Confira!

A miss Universo 2019 declarou: “Cresci em um mundo em que uma mulher com a minha pele, a minha aparência e o meu cabelo não era considerada bonita. Isso acaba hoje. Quero que as crianças enxerguem o reflexo dos seus rostos no meu“. Qual a importância dessa declaração?

"Essa declaração é importante, porque os pequenos, desde já, podem ver que a representatividade importa demais.  Eles podem perceber o quanto é importante ter uma figura que os represente, porque para onde nós olhamos, nós vemos rostos que não representam as crianças negras. E ver uma Miss Universo negra, com seu cabelo natural, com todos os seus traços que condizem com sua origem, é importante demais e contribui para que a criança cresça com uma autoestima bem mais elevada e entendendo que não tem nada de errado com seus traços, coisa que em outro momento, era praticamente impossível. Todos os exemplos que nós víamos eram exemplos de pessoas brancas, e ficava difícil para essas crianças se identificarem. Então sempre parecia que havia algo errado, que elas estavam fora de contexto, fora de lugar. Esse tipo de declaração mostra para essas crianças que qualquer um pode conseguir o que quiser, desde que se dedique. E sim, representatividade é mais do que necessário."

"Esta noite uma porta foi aberta e eu não poderia estar mais agradecida por ter sido a pessoa que a atravessou. Que toda garotinha que testemunhou esse momento acredite para sempre no poder de seus sonhos e que elas possam ver seus rostos refletidos no meu. Eu orgulhosamente me declaro como nome Zozibini Tunzi, Miss Universo 2019!" Ter uma miss universo negra tem qual significado principalmente para as crianças negras?

"A tendência é que passem a aceitar melhor todos os traços que tem a ver com a negritude. A cor do cabelo, a textura do cabelo, o formato do nariz, a cor da pele, o corpo como um todo. É uma questão da pessoa ter uma referência, de fato. E quando tem referência, fica muito mais fácil dela conseguir seguir em frente com os seus traços. Aceitar que aquela ali é a sua origem, que aquele é o seu jeito. Mas é claro que, quando nós estamos falando no caso de uma Miss, a gente precisa pensar também que ainda existe uma imposição de padrão corporal. Então é um grande avanço termos uma Miss Universo negra, mas a questão do corpo ainda reflete muito, porque a maioria da população negra não tem esse corpo tão esbelto. Tem muitas curvas, tem muitos traços que são característicos da negritude, e isso ainda precisa avançar: a questão da aceitação corporal".

Ao verem uma miss negra as meninas passam aceitar melhor seus cabelos, nariz, sua cor e seu corpo no geral?

"Para as meninas, é realmente isso que ela falou: é olhar para o rosto dela e ver o próprio rosto refletido. É ver que existe possibilidade de você alcançar coisas inimagináveis. Muitas vezes, a maioria da população periférica faz parte da população negra, e muitas vezes essas crianças não têm perspectiva de melhora de vida. Muitas vezes elas olham para o futuro como uma sentença. E ver esse tipo de coisa, de situação, é importante demais para que elas entendam que não, elas não estão sentenciadas a nada, porque quando elas veem que tem alguém que conseguiu alcançar um lugar desses, e que esse alguém parece com elas, elas simplesmente tendem a sonhar mais e correr atrás de seus sonhos".

Qual a importância das meninas negras terem autoestima?

"A importância é a mesma que qualquer pessoa precisa. É importante para que a pessoa se autoafirme, para que a pessoa não tenha medo de buscar o seu lugar nesse mundo. É importante para que essas meninas entendam que elas são lindas do jeito que elas são. No caso das meninas negras, especificamente, a autoestima já é mais difícil de ser conquistada, porque é difícil ver pares como os seus, sendo referenciados como algo bonito, como algo que se queira ter igual. É difícil você olhar para o nariz de uma mulher negra e dizer que quer ter um nariz igual ao dela. É difícil você ver o cabelo de uma mulher negra e dizer que quer ter o cabelo daquele jeito. Quando se tem um exemplo desse, de uma mulher belíssima, que conquista o Miss Universo e é negra, isso acaba influenciando para que essas meninas cresçam com um referencial de autoestima bem mais estruturado".

Verem negros conquistando cada vez mais cargos importantes ( em empresas, na TV, em 2017 e 2019 miss universo) ajuda as crianças negras acreditarem que também podem chegar lá?

"É extremamente necessário que a gente consiga se projetar. Como você projeta um futuro, se quando você olha para os cargos de evidência, só tem pessoas brancas e você é uma criança negra? É muito importante que esses cargos de evidência tenham representatividade, sim! E a gente preza para que, no futuro próximo, de preferência, isso não seja mais a exceção, e sim a regra. Que haja pessoas de todas as etnias, todas as raças, em todos os lugares, em todos os postos do menor ao maior, para que não haja uma imposição de que 'o meu lugar é esse aqui por conta da cor da minha pele', ou 'o meu lugar é aquele lá por conta da pele do outro'. Eu preciso ver que existe qualquer possibilidade para mim. E sim, ver esses cargos tão importantes sendo preenchidos por pessoas negras é essencial para destacar essa importância".

Você acha que uma miss negra ajuda a diminuir o preconceito que os negros sofrem?

"Não, infelizmente não ajuda, porque o preconceito está muito enraizado ainda. Quem é preconceituoso já criou isso num outro momento, tem o lado histórico da coisa. Então para diminuir o preconceito que os negros sofrem, infelizmente, não é o suficiente. Mas, contribui muito para que esses negros que sofrem preconceito se fortaleçam e entendam que eles não são definidos pelo preconceito do outro, mas pela história que estão construindo para si".