Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Ciúmes do novo irmão

Veja dicas para lidar com a situação e manter a família em sintonia

Diane Neubüser Publicado em 21/03/2017, às 08h00 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Envolver a criança com os cuidados com o novo bebê é fundamental
Envolver a criança com os cuidados com o novo bebê é fundamental - Foto Shutterstock

A espera de um bebê na família é motivo de muita alegria para todos. Porém, quando já se tem um pequeno em casa, pode também se tornar um motivo de preocupação. Nem sempre o primogênito aceita esse presente com muita alegria. Alguns podem se sentir inseguros e com medo. Isso pode gerar um sentimento que talvez a criança nunca tenha tido: o ciúme.

A demonstração de ciúme pode variar. É comum ter reações agressivas em relação ao bebê, ficar desobediente, ter episódios de choros sem motivo várias vezes ao dia, fazer birras ou regredir em alguns comportamentos (como querer usar a chupeta, mamadeira ou ter que usar fralda novamente, ou voltar a ter fala mais infantilizada). Esses comportamentos têm um único objetivo: chamar a atenção da família. A situação, por mais difícil que pareça, é natural e deve ser trabalhada normalmente no dia a dia, com muita conversa e compreensão. Veja as dicas:

1º - Não espere a criança ter comportamentos inadequados para prestar atenção nela. Por mais cansativo que seja, divida seu tempo entre os cuidados com o mais novo e o mais velho.

2º - Envolva a criança nos cuidados com o bebê, respeitando, é claro, suas limitações. Peça pequenas coisas para ele como pegar a fralda na gaveta, limpar a boquinha do irmãozinho, entre outras coisas fáceis de fazer.

3º - Elogie sempre os bons comportamentos. Abrace seu filho e mostre alegria por ter se comportado bem e ter tido demonstrações de carinho com o irmão mais novo.

4º - Quando ele tiver um comportamento inadequado, não se exalte, pois quanto mais importância você der, mais fará parecer que aquilo está fazendo sucesso. Tente se mostrar indiferente.

5º - Converse sobre o assunto com seu filho. Deixe ele falar como está se sentindo, deixe claro o quanto ele é amado e que existe espaço suficiente no seu coração para os dois.

Fonte: Dr. Carlo Crivellaro, Pediatra com Título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria; Membro da Sociedade Brasileira de Pediatria; e Membro da Highway to Health International Healthcare Community

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI