Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram Máxima

Congelamento de óvulos: quanto custa? É seguro? Como funciona? Tire todas as suas dúvidas sobre o assunto

Passou dos 30 e que preservar os óvulos? Saiba tudo sobre o famoso 'congelamento de óvulos' que está na moda

Máxima Digital Publicado em 07/11/2019, às 14h40 - Atualizado às 14h58

Imagem meramente ilustrativa de uma consulta ginecológica
Imagem meramente ilustrativa de uma consulta ginecológica - Getty Images

A possibilidade de congelar óvulos tem sido muito falada entre as mulheres com mais de 30 anos, mas não tem como negar que o procedimento ainda gera muitas dúvidas entre pessoas de todas as idades.

Se você é uma dessas que ainda não entendeu direito como tudo funciona, então essa matéria é especialmente para você!

As técnicas de Reprodução Humana evoluíram bastante, sendo possível adiar a gestação, seja por motivos pessoais, profissionais ou de saúde. Especialistas apontam que a reserva ovariana das mulheres após os 30 anos tem sua queda acentuada e a mulher passa a apresentar poucos óvulos (em quantidade e qualidade), aumentando a possibilidade de embriões com defeitos cromossômicos. Mas acalme-se, porque é aí que a técnica do congelamento entra.

Homens e mulheres podem ter o material genético preservado para utilizá-los no momento que se sentirem mais confortáveis. 

A médica Luciana Nacano, ginecologista e obstetra do Projeto Girassol, clínica de Reprodução Assistida em São Paulo, listou 5 tópicos que podem esclarecer as perguntas mais frequentes sobre o assunto.

Confira:

1.    Quanto tempo os óvulos e os embriões podem ficar congelados?
O tempo de congelamento dos óvulos e embriões não é muito bem definido. Muitos especialistas acreditam que a qualidade e a vitalidade não são perdidas com o congelamento. Há relatos de sucesso de uso de embriões com mais de 10 anos de conversação.


2.    Quanto tempo leva para realizar o procedimento de preservação de fertilidade?
O primeiro passo é estimulação ovariana que pode variar de paciente para paciente, em média leva de 9 a 15 dias. Com os óvulos já maduros, eles serão aspirados. Esse procedimento é feito sob anestesia e a recuperação é imediata. Assim que coletados, os óvulos são congelados ou fertilizados para formar os embriões. 


3.    Quem pode ser submetido ao procedimento?
A preservação da fertilidade pode ser feita por homens e mulheres que desejam postergar a gestação. As mulheres precisam estar em idade reprodutiva, que vai variar de acordo com cada uma, mas que no geral chega até a chegada da menopausa, por volta de 45 anos. É indicado também para pessoas que vão passar por tratamento que comprometam a reserva ovariana, como tratamentos que envolvam radioterapia, por exemplo. 


4.    Quais as chances de engravidar usando o óvulo congelado?
As taxas de gravidez usando os óvulos que foram preservados depende da idade que a mulher tinha quando congelou. 


5.    Quanto custa preservar a fertilidade? 
Essa é uma das perguntas mais comuns feitas pelos pacientes. Porém, o custo vai depender da clínica e dos profissionais que você escolher. Por isso o melhor é agendar uma consulta com o médico de sua confiança, que irá avaliar o seu caso e te passar o valor.  O congelamento de espermatozoides, por ser um procedimento mais fácil, tem custo mais acessível do que o realizado nas mulheres, mas ambos terão de pagar uma taxa semestral de manutenção do congelamento. Além disso, é possível realizar o tratamento em alguns serviços públicos ou através de programas, como o de doação de óvulos que vão disponibilizar valores mais acessíveis. 
Os interessados em entender mais e pensar na preservação de sua fertilidade deve procurar uma clínica de reprodução assistida, pois a indução da ovulação poderá ser feita na clínica ou pelo médico ginecologista de confiança, que seja habilitado para fazer esse procedimento. Já a captação de óvulos e congelamento são feitos apenas na clínica que possua laboratório para realizar a Fertilização in vitro, aonde os óvulos ou os embriões ficarão guardados.