Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Desarme os inimigos do sexo

Existem pensamentos e comportamentos que podem impedir o sexo incrível. A boa notícia é que, com os ajustes certos, a vida sexual tem tudo para decolar!

Texto: Patrícia Affonso Publicado em 18/11/2016, às 12h14 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Desarme os inimigos do sexo
Desarme os inimigos do sexo - Shutterstock
VERGONHA DO VISUAL
“O sentimento atrapalha muito as relações íntimas, pois acaba reprimindo a expressão sexual. Algumas mulheres não fazem determinadas posições, porque evidenciam uma parte do corpo que não aprovam. Outras só transam de luz apagada, o que prejudica interação do casal já que os homens são muito visuais”, diz a psicóloga e sexóloga Carla Cecarello (SP). O antídoto, segundo ela, é mais amor próprio. Tente se lembrar das qualidades que a tornam atraente. Afinal, se o eleito está ali, sob os lençóis com você, é porque sente desejo. “Vale ressaltar que os homens, no geral, estão mais interessados no desempenho da parceira. Eles apreciam a mulher participativa, interessada”, pontua Carla. 

DESCONHECER O CORPO
A mulher que não sabe onde gosta de ser tocada e nem com que ritmo e intensidade, dificilmente saberá conduzir o parceiro ou contribuir para que ele a satisfaça. Assim, chegar ao orgasmo torna-se mais difícil. Para virar o jogo, toque-se mais, ande nua, conheça o próprio corpo. Há zonas de prazer em várias regiões, que precisam ser exploradas. Vamos lá!

NÃO EMBARCAR NA DELE
Quando um não quer, dois não fazem. Acontece que, quando o assunto é sexo, nem sempre a vontade ocorre simultaneamente nos envolvidos. Se uma parte toma a iniciativa repetidas vezes e recebe muitas negativas, é natural que uma hora desanime e procure menos o outro — mesmo que tudo seja dito com jeitinho. “As mulheres não estão sempre de prontidão para o sexo. Precisam aquecer os motores! Por isso, às vezes é interessante se deixar levar por uma investida inesperada do parceiro e ver no que dá”, diz Margareth dos Reis, terapeuta sexual e de casais do Instituto H. Ellis (SP). Ninguém está falando que você deve transar sem vontade. Mas que tal dizer para o parceiro que topa uma brincadeira, umas preliminares para ver até onde chega... Você pode se surpreender!

PREOCUPAR-SE DEMAIS
Autocobrança e expectativas exageradas: eis aí uma dupla que, diante do menor descuido, se aconchega entre o casal, na cama. Que atire a primeira pedra quem, em vez de curtir o momento, nunca se pegou questionando: “Será que ele está gostando?”, “Vamos chegar lá?, “Ainda vai demorar muito?”. A pessoa fica tão preocupada em agradar e sentir prazer, que acaba não sentindo nada. As preocupações cotidianas também roubam a cena na hora H: a lista de compras no mercado, aquela conta que está vencendo, o relatório pendente da última reunião... “Se os pensamentos que habitam a cabeça do casal, durante a transa, forem de qualquer outra ordem que não a erótica, eles só tendem a atrapalhar. O sexo prazeroso está relacionado a um estado de relaxamento e de foco na percepção das sensações. Então pré-ocupar a mente com outros temas não é bacana”, afirma Margareth. Deixe as encanações fora do quarto. Enquanto estiver ali, concentre-se em sentir, fantasiar e realizar.

PENSAR POUCO EM SEXO
Pesquisas da Universidade Estadual de Ohio (EUA) apontam que os homens pensam em sexo 34,2 vezes por dia — o equivalente a uma vez a cada 28 minutos. A quantidade representa quase o dobro em relação à frequência co m que as mulheres pensam no assunto: 18,6 vezes ao dia, ou seja, a cada 51 minutos. Assim, estamos em desvantagem. “É importante estimular esses pensamentos, ir ativando o potencial criativo sexual, que não é algo tão natural para nós, por ser muitas vezes até reprimido. Para isso, sugiro que as mulheres incluam no cotidiano a literatura erótica, filmes com roteiros mais insinuantes, acessórios de sexshop. Esses artifícios incrementam o repertório e podem influenciar positivamente na libido”, diz Margareth.

TRANSAR SÓ À NOITE
A prática é comum, quase um hábito: muitos casais só se dispõem a transar no final do dia, quando estão indo para a cama descansar. Se funcionar para ambos, ok, não há nenhum problema. Acontece, no entanto, que a essa altura do campeonato é comum as pessoas estarem cansadas, sem disposição para o erotismo. A transa acaba sendo adiada ou feita de qualquer jeito: rapidinha, sem jogo de sedução, sem nem tirar as meias ou a parte de cima do pijama (sim, pode confessar!). “Para começar, sexo feito sempre do mesmo jeito e com hora marcada é ruim. Outro ponto que merece destaque: várias pesquisas afirmam que é na parte da manhã que ocorre uma maior produção dos hormônios sexuais”, afirma Carla Cecarello. Bacana mesmo é que exista espaço para aproximações espontâneas. “O momento de transar é quando a vontade bater”, diz Margareth. Nosso cotidiano já é tão restrito e burocrático, então pra quê normatizar o prazer também? Varie e seja muito mais feliz com ele!

EXAGERAR NA COMIDA
Não estamos querendo reinventar o roteiro dos encontros românticos. Longe disso! Sabemos que, muitas vezes, a aproximação do casal acontece ao redor da mesa, com uma refeição agradável, um bom vinho. O problema está nos excessos. Pode puxar na memória um dia recente, marcado por uma comilança. Você certamente se recordará de ter ficado meio indisposta e até sonolenta. Imagine, então, comer muito e, logo na sequência, querer arrasar no sexo? Desejos incompatíveis. Quando nos alimentamos demais, a irrigação sanguínea é maior na área do sistema digestivo. E, na hora da transa, é preciso que o sangue opere na região genital. Logo, a performance deixará a desejar. Então, evite rodízios ou lugares que sirvam pratos pesados antes de namorar.
ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI