Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Comportamento / Mentira

Dia da Mentira: Conheça sinais de um mentiroso compulsivo

A psicóloga Marilene Kehdi explicou sobre os sinais de um mentiroso compulsivo, como identificar e tratar

Máxima Digital Publicado em 01/04/2022, às 12h20

Dia da Mentira: Conheça sinais de um mentiroso compulsivo - Freepik
Dia da Mentira: Conheça sinais de um mentiroso compulsivo - Freepik

Dia 1º de abril é conhecido como o 'Dia da Mentira'.

Mentir vez ou outra faz parte do comportamento humano, o problema está em fazer isso compulsivamente, inventando desde pequenas mentiras inofensivas até histórias mirabolantes.

A mitomania é o desejo incontrolável de mentir sobre qualquer situação e é considerado uma patologia. 

A Psicóloga Marilene Kehdi explicou sobre os sinais de um mentiroso compulsivo, como identificar e tratar. 

"Mentir vez ou outra faz parte do comportamento humano, até mesmo para se proteger, para se auto afirmar, quando a pessoa não se aceita, não aceita sua condição de vida ela tende a contar uma história, criar uma realidade paralela. Estas mentiras que são contadas vez ou outra são conhecidas como mentiras sociais, a pessoa está mentindo socialmente por alguma razão, as causas das mentiras abrangem baixa autoestima, para se auto afirmar, insegurança, algum tipo de trauma, ansiedade, medo, angústia, infelicidade, receio de contar a verdade, ser criticado ou julgado por determinada atitude, ou por não se sentir capaz de conseguir lidar com a situação em que está envolvida e prefere mentir, ou até mesmo para não constranger outra pessoa.", disse a especialista em atendimento clínico.

A Dra. Marilene continuou: "A mentira é um comportamento aprendido, por exemplo: se um indivíduo nasceu em um lar onde tinha muita mentira, as chances da pessoa reproduzir este comportamento são muito altas, costuma-se contar mais mentiras na fase da infância e também na adolescência, é importante que se corrija a criança e o adolescente, sempre dizendo: 'Não minta, não precisa mentir, aqui em casa todos falam a verdade, diga sempre a verdade'. Mas nunca regule uma criança de mentirosa, ao invés disso dizer para que ela não minta, a motivação da mentira está no benefício que é gerado por ela, a pessoa não está bem profissionalmente, mas não quer dizer isso. Não quer se expor e se mostrar inferior, então ela diz que está tudo ótimo, é uma forma de autoproteção."

"O problema está quando a pessoa mente compulsivamente, não tem controle sobre as mentiras, mente naturalmente por qualquer coisa simples, podem ser mentiras longas ou curtas, mais elaboradas, fantasiosas… mentir compulsivamente é uma doença chamada mitomania, que é a mentira patológica, as causas da mitomania não são totalmente esclarecidas, mas envolve diversos fatores psico sociais e também as causas das mentiras, que é a questão da baixa autoestima, tentativa de se proteger, do desejo de ser aceita no seu meio e isso marca o início da mitomania, a pessoa começa a mentir por isso.", explicou. 

A especialista continuou: "A mentira patológica pode ser um transtorno isolado ou está associado a outros transtornos psiquiátricos entre eles, alguns transtornos de personalidade, como borderline antissocial, narcisistas e também tem os psicopatas que mentem muito, não sentem a menor culpa de mentir. É preciso tomar muito cuidado com as mentiras porque elas podem prejudicar, causar sérias consequências na vida de quem mente ou do outro, tem a questão da pessoa que mente e as outras pessoas aos poucos irem descobrindo as mentiras e se afastarem do convívio destas pessoas, na mitomania a pessoa que mente tem consciência de que estão mentindo, na mito mania, por exemplo, mas não consegue parar, mente por questões psicológicas de uma vontade incontrolável de mentir, os sinais da mitomania (mentira patológica) é a ausência de culpa ou de medo de ser pego nas mentiras, acesso de felicidade ou tristeza nas histórias contadas, nas mentiras contadas ela é uma vítima ou herói dentro da história, tem respostas muito elaboradas para perguntas simples, tem diversas versões para a mesma história, o teor das mentiras na mitomania são fantasiosas e extremas, mente porque não consegue parar, geralmente não tem um motivo ou propósito.".

Sobre o tratamento, Dra. Marilene explicou: "Tem tratamento e tem cura, desde que a pessoa reconheça que ela mente e precisa de ajuda para parar de mentir, quem tem mitomania dificilmente reconhece que tem esse transtorno, e, por isso, não busca ajuda porque é preciso fazer psicoterapia, se necessário quando há outros transtornos envolvidos buscar tratamento psiquiátrico, precisa se tratar. Quando os pais percebem que a criança ou adolescente mente muito, mesmo chamando atenção e alertando, continuam mentindo é preciso buscar ajuda especializada, um psicólogo e se necessário for, também com um psiquiatra."

"Às vezes a compulsão por mentira pode estar associada a outro tipo de compulsão, por exemplo: por comida, compras, ela mente dizendo que não comprou, não comeu daquele jeito, a pessoa que bebe muito álcool vai acabar mentindo para tentar negar o fato de que bebeu e isso vai se tornando um hábito, agravando o quadro que ela já tem da mentira.", finalizou. 

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI