Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Comportamento / Brinquedos eróticos

Especialista fala sobre tabu de comprar brinquedos eróticos: "Sempre pareceu algo clandestino"

Bruna Leal, fundadora de uma marca de 'sex toys', falou sobre a importância de quebrar o tabu sobre os brinquedos eróticos

Máxima Digital Publicado em 25/03/2022, às 11h00

Especialista fala sobre tabu de comprar brinquedos eróticos: "Sempre pareceu algo clandestino" - Freepik
Especialista fala sobre tabu de comprar brinquedos eróticos: "Sempre pareceu algo clandestino" - Freepik

Durante a pandemia, o mercado de produtos eróticos chegou a faturar mais de R$2 bilhões de reais no Brasil e atingiu um crescimento de mais de 10%, segundo dados da Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico e Sensual (ABEME), mas "por quê um dos mercados que mais cresce no país é tão estigmatizado?".

Foi a pergunta que Bruna Leal, de 28 anos, fez antes de criar sua própria marca de brinquedos eróticos. Ela fundou uma sex store voltada exclusivamente para o prazer feminino.

A loja online, que iniciou suas operações no último dia 10 de fevereiro, possui produtos diversificados para mulheres que vão desde sex toys delicados e "fofos" a itens para relaxar no momento íntimo.

"A experiência de comprar em um sex shop sempre me pareceu algo clandestino. E a questão que mais me afeta é porque? Já chegamos tão longe e conquistamos tantas coisas, não precisamos mais ir em uma rua escura ou em balcões escondidos atrás de uma loja discreta para comprar produtos eróticos. O prazer feminino precisa ser pluralizado", comentou a empreendedora.

Comprando em sex shops, Bruna contou que sempre tinha a impressão de que estava fazendo algo de errado e, como consumidora, não se conformava com a experiência passada pela maioria das lojas.

"Sentia que estava cometendo um crime, e acredito que muitas mulheres consumidoras de produtos eróticos também passam por isso. Na maioria das vezes você tem que ir até uma rua escura e pouco movimentada para encontrar um sex shop, sem falar no atendimento, rápido e totalmente discreto", complementou.

Em paralelo, Bruna é executiva de marketing há 10 anos no mercado imobiliário, e viu na marca uma oportunidade de causa. "A ideia é que elas entrem no site e comprem produtos para o seu bem-estar", enfatizou a empreendedora.

A loja, em início de operação, conta com 22 produtos, incluindo plug anal, sugadores, produtos relaxantes, etc., todos voltados exclusivamente para mulheres, independente de sua sexualidade.

Um grande diferencial da marca é a embalagem: "Eu trabalho com marketing, então para mim, a forma como o produto chega no cliente é importante. Uma das coisas que mais me desanimava nas compras em sex shop online era o recebimento do produto, eu entendo o lance da discrição, mas ainda sentia que estava fazendo algo de errado quando recebia aquelas caixas quase que sem remetente e bem enroladas em fita adesiva".

A loja de Bruna desenvolveu embalagens discretas e bem receptivas, o objetivo é acabar com a experiência negativa de mulheres na compra de produtos eróticos em sex stores.

"Desenvolvemos uma linha de embalagens que também são discretas, em nenhuma delas está escrito: 'tem um brinquedinho erótico aqui, vizinho curioso (risos)'! São fofas, bem receptivas e possuem um pequeno O prazer nosso! De uma forma delicada e que valorize as nossas clientes como elas merecem", explicou.

Todo o estoque da marca é exclusivo, com exceção dos produtos "relax", que é fornecido em parceria com outras lojas que estão totalmente alinhadas com o propósito da marca.

"Até o fim de 2022 queremos nos fortalecer no e-commerce e fechar parcerias com outras fornecedoras de produtos eróticos com os mesmos objetivos que o nosso, pluralizar o prazer feminino", finalizou Bruna, empreendedora e criadora da marca de produtos eróticos.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI