Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Quem planta colhe

Pedir ajuda para conquistar um objetivo pode ser frustrante para você e um fardo para o outro. Aprenda a cultivar nas pessoas o desejo de colaboração espontânea e garanta já o seu sucesso

Texto: Patrícia Affonso Publicado em 11/10/2016, às 13h32 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Quem planta colhe
Quem planta colhe - Shutterstock
Talvez a sorte — ou a falta dela — não seja a única culpada de você ainda não ter conseguido aquele desejado aumento ou que o seu marido participe mais da solução dos problemas domésticos. Pode ser que você não esteja pedindo do jeito certo! Para o britânico Richard Templar, autor do livro As 100 Melhores Ideias para Ter o Que Se Quer sem Pedir (Saraiva), não são apenas as pessoas confiantes ou audaciosas que alcançam os seus sonhos. Tudo é uma questão de planejamento.

Existem táticas que podem ajudá-la a conquistar aliados importantes e que farão a diferença lá no final. Sem manipulação, apenas despertando espontaneamente neles a vontade de colaborar com você. “Todos nós precisamos uns dos outros. Para contar com a parceria verdadeira de alguém, é necessário desenvolver o timing e a sensibilidade, ou seja, você tem que trabalhar a habilidade de falar a coisa certa, na melhor hora, de modo a obter o impacto almejado”, afirma Richard. Siga as dicas para colher bons frutos.

Defina (de fato) o que deseja
Trace o que você quer e por quê. Depois reflita se é algo que vale mesmo a pena. “Quanto mais clara for para si mesma, mais fácil será se concentrar”, diz Richard no livro. Obter as respostas sobre esses pontos também é importante para influenciar possíveis pares. Entenda: as pessoas só seguem quem está seguro do caminho a trilhar e, principalmente, quando sabe onde ele vai dar. Quem defende uma ideia com força total hoje e muda de opinião amanhã perde a credibilidade. 

Veja se precisa mesmo de ajuda
Para a coach Ludmilla Torres (SP), essa certeza é indispensável para não desperdiçarmos nossos trunfos sem necessidade. “Muitas vezes permitimos que nossas crenças limitantes nos contaminem e, então, achamos que não somos capazes de resolver os problemas sozinhas. Mas é essencial nos desafiarmos. Cada vez que damos conta de uma questão aumentamos as nossas habilidades”, declara. 

Amplie a rede de relacionamentos
Quanto mais pessoas você mantiver ativas em seu círculo pessoal, mais chance terá de ser ajudada, contratada, indicada... Por isso, não restrinja a sua convivência aos rostos já conhecidos. A regra é clara: quem não é visto não é lembrado. Participe de eventos sociais ligados à sua área profissional, dos encontros do condomínio... “Se tem dificuldades em se relacionar, treine fazendo cursos e leituras voltadas para isso. É possível, sim, desenvolver-se nesse aspecto”, alerta a coach.

Seja admirada
“É importante que você construa uma excelente reputação para aliar pessoas a você”, diz Ludmilla. Pequenas atitudes colaboram nesse sentido e fazem você conquistar apoio. Mostre o seu melhor: seja generosa, agradável, grata e bemhumorada. Admita erros e receba críticas de maneira positiva. Essas ações farão você construir a imagem de mulher que merece o que quer — e isso é essencial para que os outros contribuam espontaneamente com você. 

Abaixo a indiferença. E o puxa-saquismo também!
A forma como você se relaciona tende a ser decisiva para o modo como as pessoas irão reagir às suas ideias e necessidades. Para começar, saiba que se importar com o que elas pensam e sentem é essencial. “As pessoas ficam muito incomodadas ao serem ignoradas. Mesmo que não pretenda desprezar e só esteja preocupada ou com pressa, certifique-se de que nunca se esquecerá de demonstrar às pessoas que você as notou”, aconselha. Mas os elogios devem ser pautados na realidade, senão soam inconvenientes. 

Crie um sistema de colaboração
O segredo é simples: contribua, sempre que possível, com as pessoas. Porém ajude com boa vontade e entusiasmo, sem esperar algo em troca. “Assim, você cria uma espécie de dívida do bem, que é a gratidão”, pontua Ludmilla. Sem perceber, as pessoas que receberam o seu suporte terão o maior prazer em retribuir a gentileza. “É a lei da ação e reação”, conclui a coach. 

Tenha um raciocínio lógico e completo
É preciso entender as pessoas com as quais você vai argumentar. O segredo é colocar-se no lugar dos outros e analisar a situação a partir do ponto de vista deles. Imagine por quais motivos você levaria um “não”. O que você deseja vai dar muito trabalho? O problema é a falta de tempo ou custaria caro? Analise esses pontos friamente. 

Remova as dificuldades
Uma vez que avaliou as possíveis pedras no caminho, reflita sobre como removê-las. Exemplo: você quer propor à sua vizinha que fique com o seu filho enquanto você vai à faculdade. Faça uma lista de tudo o que pode ser complicado para ela e proponha trocas. De repente, ofereça cuidar do filho dela no fim de semana. Outra situação: você quer que a empresa pague um curso, mas acha que o chefe vai alegar gasto excessivo. Não peça! Faça um relatório listando todas as vantagens que a sua capacitação trará à empresa. Mostre que o departamento também ganha com isso. Facilite o caminho para que ele diga “sim”! Para alcançar bons resultados, seja objetiva na comunicação e tenha certeza da relevância do que você precisa. 

Consiga tudo!
Depois de conquistar apoio, colocar-se no lugar dos outros e antecipar problemas e soluções, é o momento de pedir o que quer. Solicite a parceria quando a pessoa estiver sossegada, sem outras demandas importantes na frente. Quando chegar ao fim do discurso, faça uma pausa. Deixe a pessoa pensar. Se você seguiu as táticas anteriores, as chances de receber um “sim” são enormes!

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI