Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Comportamento / LGBTQIA+

As redes sociais escondem preconceitos e ataques contra a comunidade LGBTQIA+

Segundo dados da Liga Anti-Difamação, os entrevistados revelaram que não se sentem seguros online

Máxima Digital Publicado em 12/05/2021, às 12h35

As redes sociais escondem preconceitos e ataques contra a comunidade LGBTQIA+ - Freepik
As redes sociais escondem preconceitos e ataques contra a comunidade LGBTQIA+ - Freepik

Não é de hoje que o termo cyberbullying rola nas redes sociais. A prática de comentários maldosos que ferem outras pessoas acontece diariamente nas plataformas online. 

Esses comportamentos preconceituosos são ainda mais intensificados contra o público LGBTQIA+

Segundo os dados da Liga Anti-Difamação, membros da comunidade relataram experiências de ódio e assédio online. 

De acordo com o estudo, 64% dos entrevistados falaram sobre os ataques que sofrem nas redes sociais, em comparação com 46% dos muçulmanos, 36% dos judeus e cerca de um terço dos entrevistados negros, latinos e asiático-americanos. 

O lado obscuro da internet mostra sua força contra esse público. Homofobia, bifobia, transfobia e diversos outros tipos de preconceitos são velados por perfis falsos, que atacam aqueles que pertencem à comunidade. 

Um modo de combater o cyberbullying é conhecer seus direitos. Uma das alternativas é recorrer a métodos judiciais ou denunciar os comentários de ódio para a plataforma online. 

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI