Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram Máxima
Comportamento » Fim do casamento

Samara Felippo lembra que o divórcio pode ser a melhor opção para os filhos

Especialista ressalta que criança vivendo em ambiente familiar de brigas pode se tornar um adulto mais propenso a relacionamentos disfuncionais

Mirella Cordeiro Publicado em 10/04/2019, às 14h00 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Samara Felippo com as filhas, Alicia e Lara
Samara Felippo com as filhas, Alicia e Lara - Reprodução/Instagram

Samara Felippo levantou um debate, na última semana, sobre como é a vida após a separação de um casal que tem filhos. No texto publicado em seu Instagram, a atriz colocou em xeque o consenso de que, para as crianças, é sempre melhor que os pais estejam juntos. 

Para ilustrar seu ponto de vista, ela postou imagens de seis anos atrás e contou: “Aí na foto eu já tinha a Lara (que estava recém-nascida) e tinha acabado de me separar. [...] Cortei um bolinho nos meus 35 anos em casa por elas, estava um caco, vivia de camisola e sem ânimo pra nada.”

Samara ainda ressaltou que existe, sim, vida após separação de quem tem filhos. “Muita mulher me procura nos directs dizendo que estão infelizes nos casamentos e não conseguem sair por causa dos filhos[...] Eu vivi meu luto, é saudável vivê-lo, mas por mim e por elas eu enterrei com todo amor o que não queria mais e renasci em busca do meu amor próprio”, escreveu. 

FIM DA HISTÓRIA

De acordo com as Estatísticas do Registro Civil 2017, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o número de uniões registradas diminuiu 2,3% e o número de divórcios aumentou 8,3% entre 2016 e 2017.

Com o número de separações aumentando no Brasil, a psicóloga Ellen Moraes Senra, que é especialista em terapia cognitivo comportamental, diz que é comum atender mulheres com dificuldade tanto de superar o fim do casamento, quanto de pedirem o término, especialmente se existem filhos envolvidos na história.

QUANDO É A MELHOR OPÇÃO

Em seu depoimento, Samara não expôs se buscou ajuda profissional, mas disse que, para vencer a situação, se reergueu pela família: “Fui me cuidar e fui ao encontro da mulher que eu sempre quis ser e me tornar a melhor versão para minhas filhas.” 

No final, ela ainda mandou um recado: “Não fiquem em casamentos tóxicos e abusivos por causa de filhos, assim vocês acabam “intoxicando” eles.”

Para a psicóloga, a visão da atriz está correta, pois as crianças vivenciam e observam o comportamento dos adultos, percebendo quando eles estão bem ou não. Em alguns casos, apesar de tão temido, o divórcio acaba sendo a melhor opção.

“Se ela [a criança] vivencia um ambiente familiar de brigas, discussões, ofensas, agressões físicas ou psicológicas, com certeza vai ficar intoxicada. Isso é algo que pode, inclusive, transformá-la em um adulto com relações também disfuncionais”, defende a especialista.

POR ONDE COMEÇAR?

Amar a si mesmo faz parte da solução, diz Ellen. Por isso, se o relacionamento não funciona mais, não é preciso se martirizar por querer sair dele.

Assim, o melhor caminho é ir atrás de ajuda, especialmente se você não souber dar esse primeiro passo sozinha.

“Procure sua rede de apoio de familiares e amigos, converse para entender como vai ser a nova dinâmica de vida sem esse outro elemento da família”, ressalta a psicóloga.