Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Comportamento » Dica da especialista

Será que é amor mesmo? Psicóloga ensina como se livrar da carência e assumir o controle da sua própria vida

A especialista em relacionamentos amorosos explica sobre o sentimento e dá uma dica imprescindível

Máxima Digital Publicado em 06/09/2020, às 09h00

Como sair dessa roda da carência? Criando seu próprio sentido para a vida; entenda
Como sair dessa roda da carência? Criando seu próprio sentido para a vida; entenda - Freepik

Ah, a carência... Quem nunca se sentiu com ela depois de ouvir uma música da Marília Mendonça que atire a primeira pedra!

Pois é, pode acreditar que esse é um sentimento comum em praticamente todas as pessoas! E o mais interessante sobre a carência é que ela pode guiar muitas das nossas atividades ao longo da vida.

Segundo a psicóloga Amanda Fitas, essa necessidade emocional tem diversos níveis.

“Ao longo dos anos, construímos um caminho e a carência está em alguns desses momentos, de maneira mais leve. É natural, assim como a insegurança. Você é humano, sente medo e também insegurança”, explica a especialista.

Duas coisas que os seres humanos mais precisam: aliviar suas dores e sentir prazer.

Estamos sempre em constantes buscas por maneiras de encontrar nos outros uma forma de aliviar esses sentimentos. “A roda da carência prende de uma tal forma que começamos a criar algumas ilusões, começamos a ver uma pessoa e fazer algum tipo de plano com ela, começamos a imaginar como seria perfeito a vida com ela, nos prendemos em um círculo de ilusão que nos traz um bem-estar”, esclarece a psicóloga.

Normalmente, a carência é aquela sensação na qual qualquer pessoa que aparecer, se torna interessante.

E Amanda deixa claro que, nessas situações, a pessoa só deseja ser preenchida por outra, seja ela boa ou não, seja uma relação de longo ou curto prazo. É como se não houvesse um filtro, um critério. É 'só' carência!

A especialista em relacionamentos conta que a pessoa carente procura alguém que traga o amor, afeto, prazer e também a sensação de que ela é boa o suficiente. “De certa forma, ela acaba entrando em desespero pela busca desse outro alguém, que a complete e que traga sentido. Há uma falta de reconhecer o próprio valor”.

E como sair dessa roda da carência? Criando seu próprio sentido.

Para criar esse sentido você terá que olhar e encarar a sua realidade dolorida.

É preciso construir um sentido para vida que dependa das suas ações. “Saia dessa roda da carência, pois nela quem está produzindo seu sentido são esses personagens e situações criadas através das suas ilusões”.

Você precisará atravessar muitas camadas, ter autorresponsabilidade, assumir o controle da sua vida, não culpar as pessoas, encarar suas dores, seus pontos a serem melhorados e criar uma realidade na qual veja valor e se orgulhe.

Que tal começar a tentar hoje mesmo?


SOBRE AMANDA FITAS:

Amanda Fitas é psicóloga, escritora e palestrante com mais de 1,5 milhão de seguidores nas redes sociais. Autora de 4 livros de relacionamentos que já ultrapassam 40 mil cópias vendidas: “Amores Saudáveis”, “Textos Obrigatórios Para Você Se Relacionar Melhor”, “Aprenda a ser mais interessante” e “Viva um Amor Leve”. Ajuda as pessoas a encontrarem a leveza nas relações e o equilíbrio necessário para desenvolver o amor próprio, a autoestima e autoconfiança, em vários campos da vida. Suas mensagens são simples, diretas e atraentes para todos os públicos.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI