Máxima
Busca
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Treinar pernas favorece os joelhos e a saúde geral do corpo

Especialista explica como exercitar os membros inferiores ajuda a reduzir as chances de lesões no joelho

Redação EdiCase Publicado em 06/04/2023, às 14h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Pular o treino de perna pode prejudicar a estética corporal e a saúde articular (Imagem: prostooleh | Freepik)
Pular o treino de perna pode prejudicar a estética corporal e a saúde articular (Imagem: prostooleh | Freepik)

Existem várias razões pelas quais as pessoas podem não gostar de malhar as pernas. Uma delas é que o treinamento das pernas pode ser bastante desafiador e cansativo, exigindo um alto nível de esforço físico. Algumas pessoas, por outro lado, podem simplesmente preferir se concentrar em outras partes do corpo, como os braços ou o abdômen. No entanto, é importante lembrar que o treino das pernas é essencial para o desenvolvimento muscular equilibrado e a manutenção da saúde geral do corpo.

Perigos de pular o treino de pernas

As pernas são a base para a maioria das atividades. Elas abrigam alguns dos maiores músculos do corpo, e construir pernas saudáveis pode melhorar o desempenho, reduzir lesões e aumentar a resistência. Pular o treino de pernas é extremamente maléfico para uma das articulações mais importantes e sobrecarregadas do corpo: a dos joelhos.

“Quando temos um aumento do peso corporal, pela hipertrofia dos músculos superiores, sem que os músculos da pele acompanhem esse aumento, criamos uma sobrecarga articular nos joelhos. Isso causa um trauma repetitivo e excessivo da cartilagem, que culmina em sua degeneração. É fundamental que o estímulo muscular também seja dado aos músculos da perna”, explica o Dr. Marcos Cortelazo, ortopedista especialista em joelho e traumatologia esportiva, membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).

O ortopedista destaca que a massa muscular da coxa deve ser sempre estimulada, já que ela tem músculos muito importantes para os joelhos. “Como o joelho depende da ação de 10 músculos para funcionar […], o alongamento e o fortalecimento desses músculos protegem e melhoram a função articular dos joelhos“, diz o médico.

Homem malhando pernas
O alongamento e o fortalecimento dos músculos da perna protegem e melhoram a função articular dos joelhos (Imagem: Freepik | Freepik)

Principais benefícios de malhar as pernas

Agachamento, leg, stiff, flexora e extensora, enfim: todos os exercícios de perna são importantes, segundo o médico. Por isso, ele lista três benefícios básicos:

  1. Ajudam a manutenção do peso corporal;
  2. Fortalecem a musculatura, exercendo assim um efeito de proteção das articulações através da melhora do desempenho biomecânico e sustentação do esqueleto;
  3. Ativam a circulação do líquido sinovial que nutre a cartilagem através do processo de embebição.

“O ideal é dar a mesma atenção e intensidade com que treinamos os músculos superiores. A progressão de carga deve ser feita com o tempo, tomando cuidados também com excessos para não lesionar os músculos e inflamar as articulações”, completa o Dr. Marcos. “Em caso de dores na região, é fundamental procurar um ortopedista.”

Favorecendo a circulação do sangue

Segundo a cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), pelo tamanho dos músculos, toda forma de exercício físico que fortaleça as pernas é extremamente benéfica para a circulação do corpo inteiro. Isso pode, até mesmo, ajudar na hipertrofia dos músculos superiores.

“Além disso, é importante que tenhamos noção que, enquanto o coração é o grande protagonista do sistema arterial, a musculatura da panturrilha é a principal responsável pelo retorno efetivo do sangue para o pulmão. Por isso, dizemos que a panturrilha é o coração das pernas […]”, explica.

Auxílio na manutenção das funções cognitivas

Conforme estudo feito pelo King’s College, de Londres, exercitar os músculos das pernas tem papel essencial na manutenção das funções cognitivas. Isto é, previne, também, perdas de memória e sinais de perda cognitiva associada à idade.

“Os pesquisadores relataram uma notável relação protetora entre a aptidão muscular (a força das pernas) e a proteção cognitiva. Intervenções direcionadas para melhorar a força das pernas a longo prazo podem, segundo os pesquisadores, ajudar a alcançar uma meta universal de envelhecimento cognitivo saudável“, finaliza a Dra. Aline Lamaita, que também é membro do American College of Lifestyle Medicine.

Por Maria Claudia