Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Famosos » Desabafo!

Antonia Fontenelle se pronuncia sobre herança de Gugu e sai em defesa de Rose Miriam

A loira fez uma sequência de vídeos no story do Instagram e desabafou sobre a situação

Máxima Digital Publicado em 20/12/2019, às 19h18

Antonia Fontenelle se pronuncia sobre herança de Gugu e sai em defesa de Rose Mirim
Antonia Fontenelle se pronuncia sobre herança de Gugu e sai em defesa de Rose Mirim - Instagram

Antonia Fontenelle se pronunciou em seu story do instagram nesta sexta-feira, 20, para falar sobre o caso da esposa de Gugu Liberato, Rose Mirim, que acionou a justiça para ter direito a herança do apresentador.

Numa sequência de vídeos a loira ficou ao lado de Rose e fez um desabafo, já que passou por uma situação parecida ao recorrer a justiça pela herança do seu falecido marido, Marcos Paulo. 

“Isso é inacreditável. Eu espero que seja um ledo engano e que não esteja acontecendo. Do contrário, que país é esse? A Rose não precisa ir a lugar nenhum para dizer que tem direito, sim, a parte da herança do Gugu. Tem direito sim ao espólio Gugu”, disse a apresentadora.

Fontenelle continuou a declaração defendendo a esposa de Gugu: "Ela foi esposa dele por duas décadas, é mãe dos três filhos dele. Ter de brigar com irmãos e sobrinhos? Eles não têm direito a nada. De onde tiraram isso? A Rose é mãe dos filhos dele, é uma coisa pública e notória”, declarou. 

Em seguida, Antonia concluiu o desabafo inconformada com a situação: “Gugu não merece passar por isso. A Rose deu ao Gugu o que ele mais queria: uma família. E ele se dedicou a essa família. Eu fico sem palavras.”

Entenda o caso:

A morte de Gugu Liberato, no final de novembro, comoveu todo o país.

Pessoas de diversos estados do Brasil viajaram até São Paulo para dar o último adeus ao apresentador e a internet só falava sobre a mesma coisa: a falta que ele faria na TV brasileira.

Desta vez, quase um mês após o acontecimento, o que veio à tona foi o patrimônio gigantesco de Gugu e a divisão de sua herança.

Em um testamento de 2011, ele deixou assinado que RoseMiriam, mãe de seus filhos, não ficaria com nenhuma parte do dinheiro. Isso, porque 50% de tudo seria transmitido, obrigatoriamente, para JoãoMarina e Sofia e os outros 50% seriam divididos da seguinte maneira: 75% também para os três filhos e 25% para cinco sobrinhos.

Sabendo disso, de acordo com o repórter BrunoB.Sorraggi, da coluna da MônicaBergamo, da Folha de S. Paulo, que entrevistou a viúva, Rose Miriam decidiu recorrer à Jutiça para reconhecer sua união estável com o falecido, após conviver duas décadas ao lado dele.

Se a causa for ganha, ela será dona de 50% da herança.

Apesar de tudo isso parecer uma discussão, a própria Rose disse para a colunista em uma entrevista que não é! "Qualquer mulher no meu lugar faria isso. Está parecendo uma briga, mas não é. Eu tenho todo o direito de me colocar no meu lugar - infelizmente, na condição de viúva. A própria família dele estava cansada de nos ver juntos, há 19 anos. Eu chamava ele de anjo. Nunca tive outro homem a não ser ele", declarou ela para o jornalista.

A viúva também deixou claro que não tem a ambição de ficar com todo o dinheiro para si. "Já está tudo no nome dos meus filhos. Como o Gugu queria. Não quero nada para mim. É tudo deles. Eu só vou viver de usufruto para poder me manter", alegou.

De acordo com pessoas ligadas à família, Rose Miriam nunca teve uma relação estável com Gugu Liberato e os dois eram apenas amigos e pais dos mesmos filhos. Ela contesta!

Sobre a entrevista à Monica Bergamo, a assessoria de imprensa de Gugu Liberato divulgou o seguinte comunicado: "Diferentemente do que foi divulgado na coluna de hoje da colunista Mônica Bergamo (Folha de São Paulo), Aparecida Liberato, irmã e a inventariante do espólio do saudoso Antonio Augusto Moraes Liberato, o Gugu, vem a público esclarecer que: Antonio Augusto de Moraes Liberato, em plenas capacidades físicas e mentais, deixou testamento, onde expressa suas últimas vontades e dispõe dos seus bens móveis, imóveis, materiais e imateriais, contemplando seus familiares e principalmente, em quase sua totalidade, os seus três filhos, João Augusto, Marina e Sofia".

"Tal testamento foi lido na presença de tabelião e notário, com a presença da mãe de seus filhosme familiares de Gugu, sendo que, naquela data, o testamento foi por todos reconhecido e assinado espontaneamente, inclusive por Rose Miriam Di Matteo. O irmão de Rose estava presente. Ocorre que, após tal ato legal e solene, a mãe dos herdeiros, Rose Miriam Di Matteo e João Augusto, filho do apresentador, foram levados por seus parentes, às 9 horas da noite, à residência de um outro advogado, que não obstante, mesmo sabendo que a mesma já havia constituído advogado para si e para seus filhos, foi levada a assinar uma outra procuração, constituindo um segundo advogado, Dr. Nelson Willis & Associados".

"João Augusto se recusou a assinar qualquer papel. Ciente posteriormente de que tal fato poderia ocasionar problemas ao espólio, o que fatalmente acarretaria uma disputa judicial entre mãe e filhos, houve por bem, por parte de Rose Miriam, redigir e enviar carta de punho próprio revogando e retirando a representação deste segundo advogado. Isto posto, percebe-se que a indução e mal aconselhamento está vindo de terceiros não contemplados no aludido testamento. Terceiros estes que usam de má fé para criar problemas constituindo novos advogados com a única finalidade de obstruir a vontade legitima de Antonio Augusto Moraes Liberato, tão bem expressa em seu testamento, que por legítimo é incontestável [...] Outrossim, vale ressaltar que desde o momento da triste fatalidade, Rose Miriam Di Matteo vem sendo assediada por inúmeros advogados, tanto nos EUA, como no Brasil, que por vários meios e argumentações sugerem representá-la, ocultando o fato de que uma eventual disputa seria dela, Rose, contra seus filhos, reconhecidos herdeiros. O apresentador nomeou como Inventariante e curadora legal dos filhos menores, sua própria irmã, Aparecida Liberato, por reconhece-la apta e capaz de levar a bom termo a liquidação do testamento e de sua expressa vontade."