Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Famosos » Fique atenta

Bianca Andrade é interrompida diversas vezes no 'Pânico' e dá aula de como tratar 'mansplaining' e 'manterrupting'

A ex-BBB falou sobre machismo, privilégios e feminismo e situação foi tratada como 'mansplaining' e 'manterrupting'. Entenda os termos

Máxima Digital Publicado em 17/07/2020, às 15h17

Bianca Andrade é interrompida no 'Pânico' e tem a melhor resposta possível
Bianca Andrade é interrompida no 'Pânico' e tem a melhor resposta possível - Reprodução/ Jovem Pan

Nesta sexta-feira, 17, Bianca Andrade participou do programa Pânico da Jovem Pan. 

Em determinado momento, a bancada, totalmente masculina, resolveu falar sobre machismo. Quando começaram a falar sobre feminismo, Boca Rosa foi interrompida diversas vezes e mal deixarem ela falar.

Além disso, a situação de desconforto aparente da ex-BBB, ficou evidenciada quando descredibilizaram os argumentos e explicações dela sobre o assunto. A atitude é conhecida como Mansplaining.

Termo criado da junção das palavras em inglês man (homem) e explain (explicar). Basicamente, é quando um homem tenta explicar algo para uma mulher, assumindo que ela não entenda sobre o assunto - mesmo entendendo.

Bianca, mesmo mostrando que estava em posição de conhecer mais do assunto do que eles, teve que pedir para falar. Essa situação tem o nome de Manterrupting  deriva de  man (homem) com interrupting (interrompendo) e acontece quando homens interrompem falas de mulheres.

O clima chato foi uma tratada como uma tremenda falta de respeito. Os apresentadores tentavam a todo momento tirar a validação do argumento dela como mulher sobre um assunto que ela tem vivencia.

"Quanto mais bonita a mulher ela ofende mais","Eu imagino que a Bianca é odiada" e "Eu acho que não é nem questão de ofender o homem, mulheres entre as mulheres também. Eu acho que é a questão maior do que mulheres que falam dos homens. Mulheres que levantam sororidade e falam das próprias mulheres" foram algumas das frases dos integrantes do programa.

Emilio Surita, o âncora do Pânico, sentiu que Bianca ficou desconfortável com as falas. 

"Não fiquei 'p' da vida com nada, mas eu tenho aprendido muito e o que eu vi agora é o que realmente acontece. A gente falou sobre o machismo e mais uma vez todos os homens sempre levam pra gente. Como se mais uma vez a gente precisasse ouvir coisas que a gente já ouve. É que vocês estão em situação de privilégio: homem, hétero e branco. Vocês não sabem o que é entrar em uma reunião e o cara não te levar a sério. Vocês não sabem o que é chegar num lugar e o cara te chamar de burra apenas por ser mulher", desabafou

Em seguida, ela continuou o desabafo: "Eu acho que a gente a tem que ter uma consciência das minorias. E quando uma mulher fala sobre machismo nenhum homem pode devolver falando mal de mulher ou que mulher fala mal de outra mulher.  Já é fo** a gente tem que lidar em quebrar isso dentro da gente.".

"Quando uma mulher for falar de feminismo se coloca no lugar de ouvinte e tenta entender o porquê. Porque o que a gente tá falando não é a toa. Se a gente está falando, se está existindo esse movimento é porque doí. Quando uma mulher foi falar disso pensa: 'será que eu me coloquei no lugar dela? Será que eu sei o quanto é fo** todo dia ter que trabalhar todo o dia o dobro para ganhar a mesma coisa que um homem? Será que não cansa?", falou.

Contudo, Emilio rebateu os comentários de Bianca e negou ser um homem privilegiado na sociedade. Visto que Bianca tinha reconhecido seus privilégios como mulher branca. Ela, que foi interrompida diversas vezes, ficou quieta ouvindo o apresentador falar.

Ele falou que machismo e racismo estão inseridos na sociedade brasileira e não considera a Bianca privilegiada: "Você merece o lugar que está. Eu não considero você privilegiada".

Por sua vez, Boca Rosa, respeitou a opinião dele e respondeu: "Eu pensava exatamente como você, mas eu entendi que ser privilegiada não é sinônimo do que ser melhor que ninguém. É você ter privilégios simplesmente por ser de uma cor."

"Que privilégios você teve", rebateu Emilio.

Interrompendo, mais uma vez, a bancada afirmou que ela estava falando sobre preconceitos e não privilégios e ignorou o que ela tinha para dizer. Bianca tentava falar, mas era constantemente deixada de lado e observava os apresentadores conversando entre si.

Até que ela o questionou: "Emilio, me ouve. Posso falar como convidada? Obrigada. Eu acho que assim essa conversa precisa muito mais um olhar acolhedor. Eu me vejo em você como eu era".

Após a entrevista, o assunto se tornou um dos mais falados no Twitter com a hashtag 'POSSO FALAR COMO CONVIDADA?' e o debate sobre machismo e feminismo entrou entre os internautas.

 

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI