Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Famosos » Medicina

Nos EUA, protocolo de morte cerebral exige a espera de 48h; No Brasil, médicos podem atestar após 6 horas; Entenda

Entenda como funcionam os protocolos de morte cerebral, tanto no Brasil, como nos EUA

Máxima Digital Publicado em 22/11/2019, às 11h30 - Atualizado às 11h30

Gugu Liberato segue internado nos EUA
Gugu Liberato segue internado nos EUA - Record TV

Gugu Liberato continua internado em um hospital que é referência em traumatismo craniano em Orlando, nos Estados Unidos.

Após cair de uma altura de 4 metros, o apresentador mobilizou o Brasil e deixou muitos fãs, familiares e amigos preocupados com seu estado de saúde -- principalmente, porque nenhum detalhe foi revelado a respeito dos procedimentos que estão sendo feitos em sua internação.

Até o momento, o que se sabe é que o apresentador teve um traumatismo craniano, está internado em unidade intensiva desde que chegou ao hospital e que só após 48h os médicos emitirão um boletim informando o real estado dele. 

Como foi muito comentado, inclusive por especialistas, o traumatismo pode levar à morte cerebral e é por esse motivo que, nos Estados Unidos, o protocolo obriga que os médicos aguardem dois dias para dar o veredito final.

No Brasil, desde 2017, foi estipulado que os exames de confirmação da morte encefálica podem se iniciar após seis horas de tratamento e observação, e dois médicos diferentes, devidamente capacitados, devem realizá-los. Com esse protocolo, que é seguido exclusivamente no Brasil, a morte cerebral não pode mais ser constatada por um profissional só.

 "O quadro clínico do paciente também deve apresentar todos os seguintes pré-requisitos: presença de lesão encefálica de causa conhecida e irreversível; ausência de fatores tratáveis que confundiriam o diagnóstico; temperatura corporal superior a 35°C e saturação arterial de acordo com critérios estabelecidos pela Resolução CFM nº 2.173/17", relata o Conselho Federal de Medicina.

De acordo com o neurocirurgião Dr. Fernando Gomes, o ideal é realmente esperar! "Se os aparelhos são desligados após uma morte cerebral, os órgãos vão aos poucos parando de funcionar...Apesar de ter sido uma queda de 4 metros de altura com um trauma de crânio importante com lesão, ele está em um lugar ótimo, teve um rápido atendimento e está com todos os equipamentos e medicamentos necessários para o restabelecimento dele", declarou o médico.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI