Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram Máxima
Famosos » ATAQUE

Padre Fábio de Melo abandona Twitter após ser atacado por criticar 'saidinha' de Alexandre Nardoni

Após criticar 'saidinha' de Alexandre Nardoni, Padre Fábio de Melo é atacado por internautas e deleta conta no Twitter

Máxima Digital Publicado em 09/08/2019, às 12h27 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Padre Fábio de Melo
Padre Fábio de Melo - Reprodução/Instagram

Nesta quinta-feira, 8, Padre Fábio de Melo usou suas redes sociais para manifestar sua opinião sobre as 'saidinhas'. Para quem não sabe, 'saidinha' é um benefício concedido ao preso que tem bom comportamento dentro da cadeia, e que, já cumpriu um certo tempo de pena.

Ao saber sobre o benefício dado à Alexandre Nardoni, o autor do crime bárbaro da morte de Isabella Nardoni, o religioso usou o Twitter para expor o que pensa:

"Não entendo de leis, mas a 'saidinha' só deveria ser permitida somente no dia de finados. Para que visitassem o túmulo dos que eles mataram".

A declaração do sacerdote tomou tamanha proporção, fazendo com que e fosse atacado por internautas.

Com isso, o Padre Fábio tomou uma decisão, e informou aos seus seguidores na manhã desta sexta-feira, 9, que está deixando a rede social, não definitivamente, mas sim, por um tempo, pois a ferramenta não estava fazendo bem para ele:

“Meus queridos, vou ficando por aqui. Tenho uma saúde emocional a ser cuidada. Sei o quanto já provei a solidão provocada pela depressão, pelo pânico. Tomar remédios só faz sentido quando evitamos os gatilhos dos desconfortos. Este lugar deixou de ser saudável pra mim. Obrigado!”, declarou.

“Nunca tive dificuldade com as diferenças. Aliás, o meu ministério sempre foi exercido entre elas. Mas a dialética, um dos movimentos que nos permitem o acesso à verdade, vem gradativamente sendo substituída por acusações e julgamentos”, explicou.

“O Twitter sempre foi um lugar de encontro. De agora, dos nossos tempos. O ponto de reunião improváveis. Falei e fiquei amigo de quem não passaria na porta da minha igreja. Foi bom”.

Sobre os ataques, ele avaliou:

“Desde ontem, quando expressei minha indignação sobre a ‘saidinha’, estou sendo acusado de justiceiro, desonesto, desinformado, canalha e outros nomes impublicáveis. Só reitero. Já atuei na pastoral carcerária. Sei sobre a necessidade da ressocialização dos presos. Eu apenas salientei sobre a justiça não ser capaz de preservar, para os que sofrem suas perdas, o simbolismo das datas, libertando os responsáveis pelas mortes de seus entes queridos. Só isso”, ressaltou.

Em seguida, Fábio se despediu: 

“Agradeço muito o carinho que sempre recebi aqui. Eu me divertia muito com vocês. Obrigado pelos amigos que fiz. Rezem por mim”, terminou.