Máxima
Busca
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
LGBT / Dia da Visibilidade Bi

Dia da Visibilidade Bi: Klébio Damas fala sobre bifobia na comunidade LGBTQIA+

‘O fato de eu namorar 6 anos com um homem não define minha sexualidade’, enfatizou o youtube

Máxima Digital Publicado em 23/09/2022, às 12h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Dia da Visibilidade Bi: Klébio Damas fala sobre bifobia na comunidade LGBTQIA+ - Divulgação
Dia da Visibilidade Bi: Klébio Damas fala sobre bifobia na comunidade LGBTQIA+ - Divulgação

No dia 23 de setembro, é celebrado o 'Dia da Visibilidade Bissexual'. E a data se faz ainda mais importante, pois existe um grande preconceito que cerca a letra B da sigla LGBTQIA+.

Apesar de diversos debates e materiais sobre o tema, muitos bissexuais sentem que precisam estar sempre reafirmando sua sexualidade.

Para falar sobre bifobia sentida, inclusive, dentro da comunidade LGBT+, o influencer digital Klébio Damas contou sobre o seu descobrimento sexual e a necessidade de estar sempre se autoafirmando como bissexual.

"O processo, para mim, foi complexo. Eu sempre fiquei com meninas e gostava disso, até eu começar a sentir atração por um menino. As pessoas sempre disseram que se você é gay, você se sente obrigado a ficar com meninas e eu não me encaixava nesse caso. Por isso a dificuldade de entender qual era a minha sexualidade. Confuso, fui pesquisar sobre o que era e tentar decifrar o que estava acontecendo comigo", disse o dono do canal Mundo Paralelo.

O influenciador avalia que a parte mais difícil dentro do processo de autoconhecimento foi a opinião alheia. 

"Minha maior dificuldade era a pressão em me definir em algo e me encaixar nisso. Fora da comunidade LGBT+, eu tinha a influência de ser hétero e, dentro dela, eu tinha imposição de ser taxado como gay. Tive que dar a cara a tapa e dizer ‘Eu sou bi!’ e, então, encontrar um jeito de me encaixar ali", explicou o youtuber, um dos primeiros a falar sobre bissexualidade na internet.

Em relação à bifobia, Klébio diz que é exaustivo estar sempre precisando se reafirmar, principalmente dentro da comunidade LGBTQIA+, que deveria ser um lugar de acolhimento.

"O fato de eu ter um parceiro há 6 anos faz com que as pessoas dentro da comunidade me olhem e digam 'você é gay', mas eu não sou. É cansativo ter que ficar falando sempre sobre essa questão. Precisamos fazer com que as pessoas parem de ditar qual sua sexualidade e apenas aceitem. Já conseguimos grandes avanços nos unindo, por que não trabalhar nessa questão também?", indagou o influencer.

Segundo Klébio, há uma falácia que atinge os bissexuais até os dias atuais: a questão de estar mais próximo a ser hétero.

"Durante muito tempo, as pessoas achavam que por nos relacionarmos com os dois sexos, poderíamos ser inclusos na leva heterossexual e isso não é real", afirmou.

Para o youtuber, esse é um típico comportamento de heteronormatividade. “Não tem nada de errado em ser bissexual. Não somos indecisos. Na verdade, já somos decididos há muito tempo. Por isso, é importante termos uma data para nossa visibilidade. Sabemos qual é a nossa sexualidade. O que resta é a sociedade aceitar isso”, finalizou Klébio.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!