Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
LGBT / Transfobia

Ministro da Educação tem ataque de fúria e dá declaração polêmica sobre pessoas trans

Milton Ribeiro, Ministro da Educação, disse que não concorda com o posicionamento de pessoas trans

Máxima Digital Publicado em 10/03/2022, às 11h40

Ministro da Educação tem ataque de fúria e dá declaração polêmica sobre pessoas trans - Instagram
Ministro da Educação tem ataque de fúria e dá declaração polêmica sobre pessoas trans - Instagram

Milton Ribeiro, o Ministro da Educação ficou irritado durante uma coletiva de imprensa para o lançamento do reality show Merendeiras do Brasil.

O programa, que envolve 15 merendeiras de escolas públicas brasileiras, será transmitido na Rede TV do bolsonarista Marcelo de Carvalho com iniciativa do Ministério da Educação e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Durante o evento do programa, o Ministro da Educação disse que, além de alimentar os estudantes, as merendeiras têm o papel de cuidar para que as crianças não sejam “incentivadas” a mudar de gênero.

Milton Ribeiro teve um ataque de fúria sobre o assunto e declarou: "Nós não vamos permitir que a educação brasileira vá por um caminho de tentar ensinar coisa errada para as crianças. Coisa errada se aprende na rua. Dentro da escola, a gente aprende o que é bom, o correto, o civismo, o patriotismo. Por isso que tem um grupo da população que infelizmente me critica, mas tenho certeza que as merendeiras, mães, avós estão comigo"

"Eu quero cuidar das crianças. Não vou permitir que ninguém violente a inocência das crianças nas escolas públicas. Esse é um compromisso do nosso presidente. Não tem esse negócio de ensinar: você nasceu homem, pode ser mulher. Respeito todas as orientações. Mas uma coisa é respeitar, incentivar é outro passo", continuou.

O Ministro citou o fato do Brasil ser um país laico para justificar que respeita as diferenças entre as pessoas e disse que não tem vergonha de ser totalmente contrário à educação sexual e de gênero nas escolas infantis. 

"Eu respeito, e tenho dito isso. Mas não vou permitir que, com crianças de 6 a 10 anos, um professor chegue e diga que se ela nasceu homem, se quiser pode ser mulher. Isso eu falo publicamente, mesmo", disparou.

Milton Ribeiro concluiu: "Não tenho vergonha de falar isso. Não tenho compromisso com o erro. Temos que respeitar todos, nosso país é laico, mas tenho certeza que as merendeiras do Brasil que cuidam das crianças também têm esse cuidado todo especial. Não apenas com o que se come, mas com o que se aprende intelectualmente". 

BBB: Sobre a Prova do Líder, você prefere:

  • Apenas um Líder
  • Um Líder e um Imune
ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI