Máxima
Busca
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
LGBT / TEATRO

Rodolfo Lima não gosta de Teatro fácil e retoma sua "Bicha Oca"

Em uma cozinha íntima de atmosfera tensa, quase silenciosa, a Bicha Oca revê passado, amores e questões

Ezatamentchy Publicado em 29/05/2024, às 12h55

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Alceu explode sentimentos pela cozinha - Divulgação
Alceu explode sentimentos pela cozinha - Divulgação

Rodolfo Lima nunca gostou do Teatro fácil. Nunca abordou temas confortáveis. Nunca quis fazer o fofo para ser aceito por um mainstream. Rodolfo Lima é um dos mais inquietantes nomes do Teatro brasileiro e faz um movimento criativo importante fora dos cartazes dominados por nomes comerciais.

Rodolfo está de volta com sua “Bicha Oca” em temporada em São Paulo (SP) para o deleite de quem gosta de questionamentos, para quem quer sentir de verdade em uma peça, para quem espera mais do que fama, quer atuação. A nova montagem fica em cartaz na capital paulista até o dia 28 de junho, também conhecido como o Dia do Orgulho LGBT+.

A nova temporada conta com Rafael Rudolf também em cena, tão despido quanto Alceu


Faz todo o sentido, porque Rodolfo sempre foi muito orgulhoso de seu trabalho, e com razão para isso. Para fazer Alceu, a Bicha Oca, recebeu das mãos do próprio Marcelino Freire o bastão para levar os escritos dele aos palcos. Na verdade, a qualquer lugar, no Casarão Belvedere, no Espaço Xtranho, em uma quitinete de um amigo no centro da cidade.

Rodolfo interpreta o real e perturbador Alceu, uma bicha que não se furta de ser, bem Rodolfo - que empresta seu corpo, sua alma e seu coração para a criação escrita de Marcelino Freire. Em uma cozinha íntima de atmosfera tensa, quase silenciosa, a Bicha Oca revê passado, amores e questões. Coloca um espelho implacável em frente aos gays e suas escolhas.

A nova temporada conta com Rafael Rudolf também em cena, tão despido quanto Alceu. Rodolfo nunca gostou muito de enfeites, esconderijos, sempre foi sincero, nu de firulas. É por uma trajetória assim que a força de “Bicha Oca” se mantém forte e relevante desde sua estreia, em 2009 no Casarão do Belvedere.

“Bicha Oca” - até 28 de junho, às segundas, 21h
Espaço Xtranho: Rua Barbara Heliodoro, 135 — Vila Romana
R$ 50,00 (Inteira) | R$ 25,00 (meia) | Compre aqui
60 minutos
Classificação: 18 anos
Capacidade: 40 lugares
O espaço não tem acessibilidade para cadeirantes
*Sessões extras: Dias 31 de Maio | 14 e 28 de Junho, às 23h
Reservas e Informações: teatrodoindividuo@gmail.com

Por Ezatamentchy