Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Casa própria mais distante: avalie suas contas antes de assinar o contrato

Entenda as mudanças que aconteceram e descubra porque o seu sonho pode estar mais distante

Máxima Digital Publicado em 12/06/2015, às 11h26 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

casa própria
casa própria - Shutterstock
A Caixa Econômica Federal reduziu o limite de financiamento para imóveis usados. Desde 4 de maio, o consumidor só pode financiar 50% do valor da propriedade — antes, a porcentagem era de até 80%. Segundo o banco, a medida visa focar a oferta de crédito nas moradias novas. “As mudanças trazem perspectivas ruins para os compradores. Com essa regra, serão necessários de 12 a 15 anos a mais de investimento na poupança para uma família de classe média arrecadar o montante da entrada”, observa Wagner Pagliato, coordenador do curso de ciências contábeis da Universidade Cidade de São Paulo (Unicid). Os bancos privados não anunciaram mudanças, o que pode aumentar a concorrência. Assim como a venda de imóveis novos, a busca pelo aluguel também deve crescer, elevando os preços. Quem já tem os 50% de entrada precisa pechinchar antes de fechar negócio. “Já quem não possui o valor e queria, por exemplo, comprar um apartamento usado de 80 m, pode alterar os planos e optar por um novo de 60 m”, sugere. As operações do programa Minha Casa, Minha Vida e as que usam recursos do FGTS não sofrerão alterações.
ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI