Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Linguagem do amor: encontre o equilíbrio da sua relação

Se você tem a nítida impressão de que o seu marido não corresponde aos seus sentimentos, veja aqui como ajustar a sintonia e acertar os ponteiros da sua relação

Máxima Digital Publicado em 24/04/2015, às 10h31 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

casal
casal - Shutterstock
Você está ansiosa para passar alguns momentos íntimos com o seu amado e ele, sem desconfiar, acabou usando o tempo livre para cuidar do carro. Ou será que cortou o cabelo e o parceiro nem notou? Esse tipo de situação é muito frustrante! Porém, antes de se martirizar pensando que ele não a ama mais, procure enxergar as coisas sob o ponto de vista da linguagem afetiva. Segundo os especialistas, o problema é que as pessoas tendem a “falar línguas diferentes” na hora de pedir ou demonstrar afeto. Assim como desenvolvemos o vocabulário baseado na nossa língua primária — no caso, o português —, também construímos, ao longo da vida, uma maneira de expressar os sentimentos em relação ao outro. Daí, quando um casal usa canais diferentes de comunicação, acontecem os desencontros e as queixas.

Abra-se para o novo 
Todos nós somos diferentes e as particularidades se evidenciam na hora de demonstrar os sentimentos. A psicóloga clínica e terapeuta de casais Rosely Salino (SP) explica que a construção da nossa linguagem afetiva se inicia na infância, com as referências que recebemos dos nossos pais. “Existem famílias que transmitem afeto com abraços e beijos. Outras apenas realizam coisas que consideram importantes para o desenvolvimento da criança, como garantir uma boa escola. Lá na frente, o adulto espera atitudes de carinho representadas da mesma forma que no núcleo familiar”, diz Rosely. Por isso, ocorrem os desencontros: enquanto para algumas pessoas receber a atenção do parceiro é essencial, para outras o contato físico ou a colaboração nas demandas da casa são mais importantes. Em todos os casos, o diálogo é a solução. “Afinal, não dá para supor que o parceiro vá ler os seus pensamentos e entregar aquilo o que você espera”, diz a expert. Mas atenção: “Não use tom de cobrança ou imposição na conversa! A dica é compreender as várias formas de expressão. A esposa pode adotar alguns hábitos da linguagem do marido, por exemplo, e incluí-los no cotidiano quando necessário para deixar a relação ainda mais sólida”, sugere a psicóloga e terapeuta de casais Letícia Guedes (GO).

Existem diferentes maneiras de sentir e demonstrar afeto. A seguir, uma lista das mais comuns — confira e veja que tipo de linguagem você fala com ele: 

Se você tende a dar MIMOS... Quer dizer que também gosta de receber, como se isso fosse a melhor expressão de amor. Sente que o outro estava pensando em você. Explique para ele que presentear não significa dar um item caro ou da moda, o importante é o ato, que mostra o quanto um ama o outro. 

Se você precisa sentir o toque FÍSICO... Valoriza a proximidade e o vínculo, que se expressa nas mãos dadas, no abraço, no beijo, na relação sexual... São atitudes de afeto que muitas vezes são abandonadas pelos casais depois de algum tempo de relacionamento. A melhor maneira de receber carinho é dando. Então estimule o seu amado quando estiver precisando de um toque.

Se você dá importância a ATITUDES PARCEIRAS... Prefere demonstrar afeto fazendo algo pelos outros: ajudando nas tarefas da casa, oferecendo uma massagem caprichada ou dando uma carona. E também espera isso do seu par. Que tal dizer a ele que, para você, uma atitude vale mais do que mil palavras? “Deixe claro que isso faz você se sentir mais segura em relação a poder contar com ele”, observa Letícia.

Confira a matéria completa na MÁXIMA de abril. Já nas bancas!

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI