Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Na TV / Nos Tempos do Imperador

Nos Tempos do Imperador: Histórias, desafios, aprendizados, novos caminhos e mais; Confira tudo que terá na nova trama global e o que rolou nos bastidores

Em uma coletiva de imprensa especial, elenco, diretor e autores contam detalhes do que está por vir

Gabriele Salyna Publicado em 26/07/2021, às 17h59

Nos Tempos do Imperador: Confira tudo que terá na nova trama global - Divulgação
Nos Tempos do Imperador: Confira tudo que terá na nova trama global - Divulgação

No próximo dia 9 de agosto, o público poderá conferir a primeira novela totalmente inédita desde o início da pandemia do coronavírus. Nos Tempos do Imperador estreará na TV Globo no horário das seis e promete trazer emoções para os espectadores. 

Em uma coletiva de imprensa exclusiva, elenco, direção e autores se reuniram para contarem detalhes do que está por vir na trama. 

HISTÓRIA E PERSONAGENS

Thereza Falcão, autora da novela, contou que Nos Tempos do Imperador é uma continuação de Novo Mundo. "É uma sequência da ideia do 'Novo Mundo'. A diferença é que a gente já tem um Brasil estabelecido. Essa é uma novela com poucos personagens estrangeiros. É quando a gente começa a ter brasileiros. A gente começa a ter um Brasil mais definido.", contou. 

Ela contou que eles já queriam falar sobre Dom Pedro II, protagonista da história, que é interpretado por Selton Mello. "Já era do nosso desejo falar do Dom Pedro II. A gente escolheu destacar as coisas maravilhosas que o Pedro faz, relação dele com ensino, cultura, patrocínio à ciência. Apesar de não ter conseguido levar à totalidade seu plano de abolição, ele tem muitas coisas importantíssimas para o Brasil.", disse Thereza.

A autora contou sobre os demais personagens da trama e a importância de todos eles na história: "Os personagens da ficção nascem desse resultado desses novos brasileiros. Foi assim que a gente chegou 'Nos Tempos do Imperador'. A gente chega lá até a Guerra do Paraguai. E quisemos trazer personagens negros que não fossem personagens escravizados. A gente conseguiu trazer uma coisa diferente. Personagens negros complexos. Isso tudo para a gente era muito importante.".

CURIOSIDADE

Alessandro Marson, autor da novela, contou uma curiosidade sobre o processo: "Hoje, a gente entregou para a produção, nosso bloco de capítulos 26, que é o último bloco da novela. Ela terá 26 semanas."

GRAVAÇÕES NA PANDEMIA

As gravações de Nos Tempos do Imperador começaram antes da pandemia e estão sendo finalizadas atualmente.

"A gente está há muito tempo com essa novela. Nos começamos a trabalhar essa novela no final de 2017 e começo de 2018. É uma novela que a gente, pela primeira vez, vai ser entregue toda pronta. Ela vai ser gravada um pouco ainda com a exibição, mas não é muito. A gente tá fazendo uma novela que a gente considera híbrida, ela começou a ser gravada antes da pandemia e vai ser entregue no final da pandemia.", contou o autor. 

Vinicius Coimbra, diretor da novela, contou como foram as gravações em tempos de pandemia.

"Foi difícil! Não só pelas questões práticas do set, mas pelo impacto da dramaturgia. Quando a gente faz novela das seis, nos precisamos do romance, do impacto. Então foi um desafio da direção e dos autores para entender quais eram as cenas imprescidíveis de contato.", disse.

O diretor falou que eles usaram esse medo e transformaram em sentimentos positivos e fortes para a filmagem: "Em algum lugar, dá um sentimento de guerrilha, sabe? A gente não pode deixar a máquina parar. No início, todo mundo teve receio, mas eu sinto que ele foi se transformando em uma garra. Me parece que gerou um sentimento interessante de união. Unir os corações e fazer a máquina girar.".

"Foi um processo bonito! Nós todos da equipe estamos muito orgulhosos, com o capricho que conseguimos manter, estamos orgulhosos.", disse Vinicius. 

"Foi bem difícil, mas foi mais para os atores e autores do que para a gente. Os atores tinham que se expor mais, tinhamos esse receio inicial. A Globo proporcionou recursos de não termos que gravar na quantidade que gravávamos antes. Depois, o grupo foi criando confiança entre si e voltamos a fazer como fazíamos antes, inclusive na velocidade. Hoje, temos um ritmo parecido com uma novela normal. Foi uma novela privilegiada, ao mesmo tempo, porque fizemos em um tempinho maior. Todo mundo pôde estudar um pouquinho mais. A novela está mais caprichada do que as outras que eu fiz.", finalizou o diretor. 

DOM PEDRO II TEM DEFEITOS?

Para a equipe responsável pela novela, tem sim! E eles serão retratados em Nos Tempos do Imperador.

"Em uma obra coomo uma novela, é muito mais fácil a gente poder mostrar todas as facetas de um personagem. A gente conseguiu mostrar várias facetas do Pedro e contradições. A gente teve que expor algumas coisas não tão perfeitas e heróicas. A gente tentou se manter fiel ao espírito.", disse Vinicius.

Thereza contou que ela e Alesssandro não esconderam os defeitos do protagonista: "A gente não se isenta de falar dos pontos falhos, pelo menos até onde a gente vai. A gente mostra de forma clara e tentando entender o contexto da época. Acho que a gente não nega isso. Ele estava muito amarrado à escravidão, porque eram os deputados que poderiam romper isso, isso é uma coisa delicada do Pedro, do porquê não pôde abolir naquela época.".

CONHECER O PERSONAGEM

Mariana Ximenes, que dá vida à Luísa, a Condessa de Barral confessou que não conhecia sua personagem. "Eu não conhecia minha personagem. Tive o prazer de conhecer com Thereza e o Ale, e eu fui direto comprar o livro da Mari Belchiore que conta a história dela e, automaticamente, me apaixonei. É uma mulher muito impressionante! Eu não fazia ideia que ela existiu da maneira que existiu. Ela tem traços de uma mulher de hoje em dia, contemporânea. Ela é uma abolicionista. No engenho dela, todos são livres. Ela que colocou a lei do ventre livre, que qualquer criança que nascer no terreno dela é livre. Ela vai viver esse romance com o Dom Pedro e é bem interessante, porque ela tem ética. Ela sofre com essa relação. E ela vai ter esse conflito por ter muito respeito à imagem da Imperatriz. Ela tem bastante conflito. Eu fiquei bastante feliz de dar vida à ela. Ela é muito forte!", disse a atriz. 

Leticia Sabatella contou que a Imperatriz Teresa Cristina, sua personagem, traz momentos de muita identificação e de reflexão.

"Há uma identificação de todas as mulheres de antes e agora lutanto por todos seus direitos. A Tereza Cristina foi a última Imperatriz, sofreu com o golpe. Virou uma figura meio apagada. Foi um questionamento de muitos olhares sobre ela. Ela, em muitos momentos, é uma panela de pressão. Momentos de tanta catarze, reveladores, que a gente aprende com o que passa uma personagem. A gente aprende com o que nós passamos confinados. É muito rico! Eu fui descobrindo muitas coisas dela, incentivo ao estudo, esse amor pelo Brasil. Ela realmente amou o Brasil. Ela se tornou a mãe dos brasileiros.", declarou a atriz. 

Selton contou que aprendeu e aprende diariamente com Dom Pedro II: "Eu não lembrava com tantos detalhes da história do Dom Pedro II. Quando eu li alguns capítulos no começo, eu fiquei intrigado. Quando eu comecei a ver, eu pensei que ele é um personagem importante, mas que não teve o peso de outro ator. Eu gostei muito do que eu nao li, do que estava nas entrelinhas. Fui ler várias biografias, um monte de coisa. Essas biografias não têm respostas para muitas coisas. A Thereza e o Alessandro cumpriram isso, que é trazer mais questões. Saber o que esse cara fez e quais são suas falhas. É muito louco essa coisa do imperador e o homem. Esse papel de Imperador é uma espécie de personagem que ele faz, é como fazer dois. É muito sutil, do que não é falado.". 

"Eu estou fazendo o Dom Pedro II porque eu não sei quem é essa pessoa e continuo sem saber. A gente se depara com coisas que são muito loucas. Quando nós fazemos cenas na Câmara dos Deputados, vários homens brancos. Eu estou fazendo o Dom Pedro II possível, meu não conhecimento.", continuou. 

O ator confessou que está bem emocionado com a história e se identifica com a trajetória de Dom Pedro II: "Eu estou muito emocionado, porque eu comecei quando criança, eu me identifico com esse cara. Eu espero que o público continue nossa história.".

HISTÓRIAS DE PESSOAS REAIS  E DESCOBERTAS IMPRESSIONANTES

Colocar pessoas para contarem suas histórias e descobertas impressionantes foi uma das missões trazidas por Nos Tempos do Imperador.

Dani Ornellas, que interpreta Cândida, contou como se sente trazendo parte de sua história e de tantas pessoas. 

"Para mim, particularmente, vem assim: 'Se vocês falam de personagens que tem nos livros e ainda ficam lacunas. Para mim, o que eu aprendi, não tem nos livros de histórias'. Para mim, fazer a Cândida é oportunidade de ficar perdida em histórias que são minhas e não foram contadas para mim. Eu fico feliz em estar perdida e de mãos dadas com Ale, Thereza, Roger. E ensinar histórias para adultos e crianças. para Dar voz e corpo para histórias que não estão em nossos livros.", disse a atriz. 

Rogério Brito, que dá vida a Dom Olu revelou que está feliz em poder trazer essa história, que é importante e faz parte da vida de muitas pessoas: "Estou muito feliz de estar aqui perdido também. Meu personagem, Dom Olu, tem inspiração em personagens que eu posso ler, mas, ao mesmo tempo, é muito difícil a realização deles. Em algum momento na realização desse personagem, existe uma conexão muito grande. Eu fico nessa conexão ou reconexão com ancestrais meus. É um desafio muito necessário. Não deixo de ficar angustiado e perdido à cada cena, sedento de mais detalhes. A descoberta do dia a dia é muito prazerosa.".

"Contanto essa história do Brasil, trazendo um personagem brasileiro, eu fiquei tentando trazer esse sentimento que eu também tenho em mim. Pesquisei na internet e trouxe dores que eu já vivi. São histórias de nossos ancestrais e que refletem até hoje. Vivendo! Eu não consigo trabalhar sem viver aquele momento. Quando eu estou em cena, eu consigo esquecer tudo que eu vivo na minha vida, mas eu levo outro momento, outra dor, que também vem da minha raiz. Quando eu vivo, eu estou contanto uma história que é minha, de alguma forma.", disse Michel Gomes, que interpreta Jorge/Samuel.

Gabriela Medvedovski contou que Pilar, sua personagem na novela, traz um debate atual: a busca das mulheres para terem voz.

"Eu acho que a trama, no geral, traz os elementos históricos de uma maneira inteligente. Ela pega esses pensamentos e transforma em questionamentos no dia a dia. A Pilar representa um pouco de todas as mulheres que buscam não serem silenciadas.", falou a atriz.

"A gente faz uma ficção! A gente respeita os personagens que existiram, mas é uma ficção. A gente tem e quer emocionar, mas, se a gente conseguir, apresentar novas coisas, é uma coisa incrível.", disse Alessandro. 

EXPECTATIVA PARA A  ESTREIA

Alexandre Nero, que interpreta Tonico na trama, contou que o coração está a mil para a estreia de Nos Tempos do Imperador

"Expectativa! Eu ainda estou naquela do 'será que vai estrear?'. Enquanto ainda não estrear, eu ainda fico meio assim. Sensação de alívio, de 'agora vai'. É uma sensação estranha de nós estarmos caminhando para o fim e o público para o começo. Estou aliviado e na torcida de realmente acontecer.", confessou o ator. 

Mariana contou que compartilha do mesmo sentimento que o parceiro de elenco: "Agora vai! É uma expectativa grande! É a primeira novela completa que vai estrear depois da pandemia. É a primeira que vai ao ar depois das reprises. É um jeito diferente de fazer novela. Agora, já está quase tudo gravado, sem a oportunidade de poder ajustar. Quando a gente faz um filme, é assim. Em uma oportunidade ou outra, é muito legal o processo! É delicioso poder reinventar uma cena que, na edição, não encaixou tanto. Vamos colocar esse bonde na rua, estou ansiosa!".

SELTON DE VOLTA ÀS NOVELAS

Selton confessou que está em um mix de emoções por voltar às novelas: "São mais de 21 anos. Fazendo agora, eu admiro ainda mais os atores que fazem novela, porque o ritmo é insano! Isso é muito bom também. Isso foi a minha escola, foi onde eu comecei. Eu estou voltando para esse lugar.".

"Novela, exatamente pela agilidade, porque não tem muito tempo para ficar elaborando, é muito legal. Na hora, a gente pensa: 'Vamos fazer o contrário?'. Na hora, surgem coisas inesperadas. Eu me lembro foi assim que eu aprendi a fazer. Eu estou mexido, porque eu estou voltando para a escola.", disse o ator. 

"Esse negócio é uma novela que não acaba nunca. Nós já estamos há dois anos nela. É mais essa ansiedade de vai entrar no ar. Eu sei que eu vou assistir como uma série, colocar todos os capítulos e me surpreender com todos os núcleos.", finalizou Selton. 

FIGURINO

Se tem uma coisa que novela de época traz são figurinos espetaculares. Dani contou detalhes de seus modelitos para a trama: "O meu figurinho teve um cuidado de deixar tudo que enriquece as mulheres negras. A parte de cima dos meus vestidos são mais leves. Eu tenho muito cuidado com os equipamentos, porque quando estamos andando, eles prendem nas coisas. É uma riqueza de detalhes.".

Mariana também falou de suas roupas e contou uma brincadeira que rola nos bastidores.

"Ganhei o apelido do Selton de periquita, porque a cor da Condessa é verde. A Beth caprichou muito. É um acontecimento! Eu adoro os figurinos, é bem rico em detalhes. A parte mais complexa é trocar de roupa! Realmente, temos que contar com o time. A equipe é maravilhosa!", disse a atriz.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI