Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Abaixo a hipertensão! Veja maneiras naturais de manter a pressão sob controle

Estima-se que um em cada quatro brasileiros sofra desse mal, que independe de sexo e idade

Máxima Digital Publicado em 27/01/2015, às 10h49 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Diminuir o stress também ajuda a ficar longe do problema
Diminuir o stress também ajuda a ficar longe do problema - Shutterstock

Quando o medidor marca um número igual ou maior que 14 por 9, significa que a pressão arterial está alta. Os sintomas passam por tontura, dor de cabeça e visão embaçada. O principal motivo para o aumento está no fato de os vasos sanguíneos ficarem mais resistentes (ou contraídos), reduzindo o espaço para a passagem do sangue. “O coração e os vasos podem ser comparados a uma torneira aberta e ligada a vários esguichos. Se fechamos a ponta dos esguichos, a pressão acaba subindo. Isso machuca a camada que recobre os vasos, entupindo ou rompendo-os”, explica a nefrologista Frida Plavnik, diretora científica da Sociedade Brasileira de Hipertensão. Resultado: a pessoa pode desenvolver uma doença cardíaca, sofrer um derrame cerebral ou ter alterações nos rins (problemas na filtragem e até a paralisação dos órgãos). Porém, embora essas situações sejam realmente graves, elas podem ser evitadas com hábitos de vida saudáveis e um acompanhamento médico regular. Como não poderia deixar de ser, manter uma alimentação adequada é a principal arma para a longevidade.

Dieta de controle
O programa DASH (sigla para Abordagem Dietética para Parar a Hipertensão), criado por um instituto americano que estuda o coração, os pulmões e os vasos sanguíneos, incentiva o consumo de alimentos ricos em potássio, cálcio e magnésio. Motivo: pesquisas mostram que esses minerais reduzem em 14% o desenvolvimento de hipertensão e ainda auxiliam na prevenção do colesterol alto. “Quando o sódio circula em níveis muito elevados no organismo, os rins tentam eliminá-lo pela urina, mas para isso eles precisam de boas quantidades de potássio e magnésio”, conta a nutricionista Isabel Andrade, da Venutri (SP).

Encha a sua despensa de:

MAGNÉSIO
A quantidade indicada para consumo diário é de 350 mg. Boas opções: espinafre, amêndoa, banana, aveia, avelã, castanha-do-pará, leite desnatado, feijão-preto, acelga, alcachofra, quiabo, beterraba, abacaxi e abacate.

CÁLCIO
Um adulto necessita de 1000 mg do mineral todos os dias. Consuma leite desnatado, queijo de minas, couve, aveia, amêndoa, peixes (lambari, manjuba e pescada), camarão, tofu processado, iogurte, brócolis, folhas de beterraba e fi go fresco e seco.

POTÁSSIO
A ingestão deve ser de 4,7 g por dia. Invista em abacate, feijão, lentilha,  batata, farinha de mandioca e de soja, amendoim sem sal,  peixes em geral, beterraba e cenoura cruas, chicória, catalonha, couve, espinafre, brócolis, banana, cupuaçu, maracujá, romã e tamarindo.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI