Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Acerte no repelente

O uso correto deste tipo de produto também requer cuidado – saiba o que levar em conta na escolha e aplicação

Carmen Cagnoni Publicado em 25/02/2016, às 13h00 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

O uso correto deste tipo de produto também requer cuidado – saiba o que levar em conta na escolha e aplicação
O uso correto deste tipo de produto também requer cuidado – saiba o que levar em conta na escolha e aplicação - Shutterstock

A acentuada proliferação do mosquito Aedes Aegypti e as doenças causadas pela sua picada, como zika, dengue e chikungunya, tem colocado a população em alerta sobre como se proteger contra um inimigo tão pequeno.

 

Além de manter caixas d’água limpas e bem fechadas, e vasos de plantas sem acúmulo de água para evitar focos de proliferação do mosquito, é possível contar com o uso de repelentes sobre a pele, como medida de proteção. Mas é necessário ter cautela, pois ele não é indicado para bebês antes do seis meses de idade. Saiba outros cuidados, segundo a dermatologista Bel Takemoto (SP), membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD):

 

·        Siga as orientações do fabricante de cada produto, contidas no rótulo da embalagem.

·        Caso a aplicação produza alguma alteração na pele, procure um dermatologista. 

·        Não aplique o repelente sob a roupa. “Esse tipo de produto dever ser passado somente nas áreas que ficarão expostas - o uso em excesso pode causar eventuais reações alérgicas, principalmente em pacientes atópicos. Em crianças, o uso deve ser supervisionado por um adulto para evitar aplicação em áreas irritadas, com ferimento ou perto de mucosas”, alerta a especialista.

·        Reaplique o repelente mais de uma vez durante o dia. “Como é um produto destinado à pele, e funciona com o efeito de proteção, deve ser reaplicado  para manter ação e melhor resultado, em média, a cada duas ou três horas. Veja na embalagem a recomendação do fabricante”, explica a dermatologista.

·    Na hora de comprar um produto, leve em consideração o tempo de proteção oferecido e também a recomendação por idade. O ideal é buscar orientação de um médico, que saberá indicar o melhor produto, baseado em ativos e eficácia de proteção.

·  Saiba que as versões industrializadas são mais eficientes do que receitas caseiras com cravo, álcool ou óleo, por exemplo.

·     Lave as mãos após aplicar o produto, especialmente das crianças, que podem levá-las à boca.

·        Não vaporize o produto diretamente na face. Coloque-o na mão e, então, aplique no rosto.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI