Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Saúde e Bem Estar » Entrevista

Angélica mostra estudo com os filhos durante quarentena e pedagoga explica a importância familiar neste momento delicado

Luciana Brites falou sobre como lidar com as crianças neste período

Máxima Digital Publicado em 19/03/2020, às 16h30

A pedagoga deu algumas dicas de como lidar com as crianças neste momento
A pedagoga deu algumas dicas de como lidar com as crianças neste momento - Instagram

Neste período de reclusão sugerido pelo Ministério da Saúde, muitas famílias estão com dúvidas no que fazer com as crianças. 

O coronavírus causou uma grande reviravolta mundial e fez com que a população tivesse que se readaptar. 

Angélica compartilhou com seus seguidores do Instagram um programa familiar: estudar com os filhos. 

A apresentadora mostrou um pouco do momento em que estava ao lado da turminha para não perderem a rotina de estudo. 

A Máxima Digital conversou com Luciana Brites, pedagoga e especialista em educação especial na área de Deficiência Mental e psicopedagogia clínica, para que ela auxiliasse os pais com algumas dicas do que fazer com os filhos neste período. 

MÁXIMA DIGITAL: Devem estudar e reforçar exercícios que foram feitos neste período de ano letivo?

LUCIANA BRITES: Agora em época de coronavírus é importante até a própria escola dar algumas guias de orientações para as crianças estudem em casa. Além de estudar o que foi feito, ver conteúdos que podem auxiliar aquele que já foi dado. Por exemplo, aprendeu uma continha de multiplicação com um número, então agora aprende com dois. 

MÁXIMA: Quais outras atividades (brincadeiras) podem ser feitas neste período para estimular as crianças?

LUCIANA: Além do estudo, pode-se pedir para que a criança ajude nos afazeres domésticos, auxiliar na alimentação. Tudo que ela pode ser útil para fazer parte do dia a dia. 

MÁXIMA: Quanto tempo devem ficar na internet?

LUCIANA: Geralmente, crianças abaixo de dois anos nem podem ficar na internet. Acima disso, uma hora, não pode ficar muito porque a internet estrige a estimulação do vocabulário da criança. De um modo geral, crianças acima de 6, 7 anos, até duas horas na internet, mais duas em um joguinho. O que não pode é ficar 3, 4, 5 horas ininterruptas. Pode jogar um pouco, dar uma parada, fazer uma atividade. 

MÁXIMA: Como reforçar a higienização neste período?

LUCIANA: Além das etapas fundamentais, de quando vai ao banheiro, chega em casa, esse período está mostrando o quanto isso é significativo. Pode fazer uma musiquinha enquanto lava as mãos, pode usar sabonetes de cheiros diferentes, ficar com os olhos fechados e ver se lavou direito. 

MÁXIMA: Qual a importância de manter contato com os avós por meio da tecnologia?

LUCIANA: Deve reforçar a importância disso e também manter contato com outras pessoas, que são conhecidas. Eles podem ligar, fazer chamadas. Hoje tem muitas maneiras de fazer com que as crianças conversem com avós, amiguinhos do colégio, professores.