Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Saúde e Bem Estar » Gravidez

Após desabafo de Virgínia Fonseca sobre depressão no início da gestação, psicólogo explica fatores clínicos que levam à doença

Alexander Bez falou sobre a importância do apoio familiar nesse momento difícil

Gabriele Salyna Publicado em 09/02/2021, às 16h10

Psicólogo explica fatores clínicos que levam à depressão no início da gestação, após desabafo de Virgínia Fonseca
Psicólogo explica fatores clínicos que levam à depressão no início da gestação, após desabafo de Virgínia Fonseca - Instagram

Virgínia Fonseca abriu o jogo sobre um capítulo delicado em sua vida pessoal. Em um vídeo postado em seu canal no Youtube, a noiva de Zé Felipe revelou que havia enfrentado uma depressão no início de sua gravidez

Sincera, a youtuber revelou detalhes de como lidou com a situação e disse que, atualmente, já está recuperada desse momento que ela mesma chamou de desesperador. 

Essa situação que a influenciadora digital enfrentou não é um caso isolado. Muitas mulheres passam por momentos semelhantes aos da estrela da internet. 

O psicólogo Alexander Bez explicou quais são os principais fatores que levam à depressão no início de uma gestação.

"A depressão é um estado clínico de condição constante e continua, considerado um distúrbio mental, a depressão causa sentimentos depressivos, perda de interesse em atividades, prejudicando significativamente o dia a dia e as relações no geral. É passada completamente por herança genética. A associação de fatores pessoais, familiares e econômicos - como principalmente os 'hormonais', constituem ao cérebro uma série de alterações onde essas pelas alterações químicas que se darão e assim também mudando toda a carga hormonal da mulher (lembrando de que as mulheres possuem o nível hormonal superior ao dos homens), consequentemente, dessa forma, tendem a ter chances mais elevadas de desenvolver a depressão.", esclareceu. 

"A depressão na gravidez pode ser passageira ou definitiva, vai depender muito do quadro clínico-mental da mulher. De qualquer maneira, a gravidez tem sim, todas as condições em propiciar o surgimento da depressão durante o período hormonal. O histórico depressivo familiar é outro componente importante para provocar a depressão na gravidez.", continuou o profissional.

Quando engravidou, Virgínia havia feito uma cirurgia plástica, a Lipo LAD, há pouco mais de um mês. A youtuber contou que deixar a vaidade de lado para abrir portas às mudanças físicas foi um momento bem difícil. 

"A vaidade é um dos 'antídotos' mais importantes contra a depressão — principalmente em relação às mulheres! Saber administrar a vaidade na gravidez é que está o grande lance, pois ao se arrumar e se cuidar as mulheres tem menos chances de ter problemas de autoestima e consequentemente desenvolver um quadro de depressão. Porém, há na gravidez o agravante do limite (pois muitos procedimentos que envolvem o se cuidar podem ser restritos) determinando que nem todo, apenas no período da gestação pode ser realizado.", explicou o profissional.

"Dessa maneira, a ação em saber ponderar sem culpa, como continuar a se cuidar no espaço do permitido, é o que fará toda a diferença, não remetendo a mulher a estagnação total, que pode não ser benéfica à gravidez. A vaidade pode ser perfeitamente aplicada no período gestacional! Na dúvida sempre consulte seu (a) médico (a) de confiança, para que dessa forma o mesmo (a) possa orientar o que é permitido durante esse período. Como a depressão é primeira condição clínica, quanto mais a mãe estiver saudavelmente estabilizada, a criança tem ótimas probabilidades em não herdar os genes da depressão da mãe.", disse o psicólogo. 

Alexander explicou que o choque entre a vaidade e a gestação pode acontecer: "Se for primeira mudança radical de postura e de condutas comportamentais, pode sim!!
Aí nesse caso, a depressão usualmente é a depressão externa (pela conduta comportamental) — a qual chamamos de exógena! Porque a depressão não foi desenvolvida, pela gravidez em si, mas sim pelas mudanças efemeramente e compulsoriamente aplicadas pela futura mãe! Para não ocorrer complicações, nesses casos é viável não abandonar os cuidados com a beleza, mas também sabendo dosá-la com a atenção a gestação. E às mudanças que irão acontecer (devem ser feitas gradativamente para não aumentar e/ou potencializar o risco depressivo, entrando esse em erupção!". 

Sobre exposição da influenciadora digital e a gestação, o psicólogo orientou: "Para a mulheres que trabalham com a autoimagem, a gravidez pode ser bastante complicada. O abalo mental nesse caso, vai muito além da condição psicológica, expandindo-se para o profissional, econômico, pois esse tipo de sintomas, em função da nutrição do Stress, vai piorar severamente o quadro clínico geral da mulher. A busca pelo apoio psiquiátrico - psicológico, como psicoterapias de grupos de apoio, atividades físicas recomendadas pelo médico! Ajudam muito. Ambiente sadio e acolhedor é essencial!!"

Virgínia contou que conseguiu superar essa situação e, para isso, contou com a ajuda de Zé e da família. 

"O apoio é crucial. Principalmente vindo da família e amigos. O acolhimento funciona quase como que se fosse primeira reversão à sintomatologia depressiva encontrada. Dessa maneira, não há tempo para que as ideias depressivas, possam se alastrar. Deixando que a mulher assim, fique longe dos riscos provocados pela depressão! Se sentindo protegida e amparada.", disse Alexander.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI