Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Conheça equipamentos que aliviam as dores (sem ajuda de remédios!)

Conheça a tecnologia que está sendo aplicada para o alívio de males diversos

Texto: Andrea Soares Publicado em 03/09/2015, às 15h35 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Dor nas costas
Dor nas costas - Shutterstock
Estes equipamentos possuem aprovação da Avisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no Brasil, e do FDA (órgão que certifica alimentos e remédios), nos Estados Unidos.

- Neuroestimulação
Cefaly é o nome do aparelho específico para dores de cabeça que trabalha com impulsos elétricos e também como neuromodulador transcutâneo, regulando os neurotransmissores no sistema nervoso. "Assim, é possível alterar a forma como a dor é assimilada", diz Eduardo Tortorelli, assessor técnico da Politec Saúde, que trouxe o equipamento belgo-suiço para o Brasil. 

Como funciona: possui um eletrodo para ser posicionado na testa (dura de 15 a 30 aplicações) e um botão para selecionar o programa desejado. Com um toque você inicia o primeiro modo, que tem efeito analgésico e é indicado para o tratamento de crise. Dois toques aciona o processo de prevenção de dores, deixando o paciente menos sensível a novas crises. Com três toques é ligado o programa antiestresse. As sessões devem ser de 20 minutos. 

Ação: "A maioria das dores de cabeça e enxaquecas envolve o nervo trigêmeo, que passa pela testa e pelos olhos." O Cefaly gera microimpulsos de baixa frequência que estimulam o final do nervo. Resultado: sensação de relaxamento e redução da dor. 

Indicação: contra enxaqueca comum, com aura, oftálmica, episódica, crônica e menstrual, dor na região anterior da cabeça e dor de cabeça crônica. A empresa garante que o aparelho pode ser usado em grávidas. 

Contraindicações: não utilizar o aparelho enquanto dirige, se há algum trauma de crânio ou na face e no caso de doença de pele na região onde os eletrodos são fixados.

- Eletroestimulação
A técnica Tens, do inglês, Transcuteneous Eletrical Nerve Stimulation, ou neuroestimulação elétrica transcutânea, é usada no aparelho brasileiro Tanyx. "É um aparelho pronto pra uso, regulado na frequência da dor aguda ou crônica", garante Moacyr Bighetti, idealizador e criador do  aparelhos, proprietário da empresa Medecell (SP)

Como funciona: utiliza uma bateria com duração prevista de dez horas, equivalente a 20 aplicações de 20 minutos. Quando a bateria acaba, o produto deve ser descartado. A frequência elétrica é única, ajustada em 85 hertz, e possui dois modos de estímulos: continuo (sem interrupções) e intermitente ( pulsos emitidos em pequenos intervalos, ideal para uso de longa duração). Ainda oferece três níveis de intensidade - baixa, média e alta -, que podem ser selecionados de acordo com o grau de dor. Tanyx deve ser posicionado sobre o local da dor ou das fibras nervosas que encaminham o sinal do incômodo para o cérebro (as vértebras C7, na cervical, ou S5, no final da lombar). 

Ação: Tanyx age de três formas diferentes: portanto a informação da dor para que ela não chegue ao cérebro e dando efeito analgésico no local.

Indicação: contra dores nas costas e pescoço musculares, de cólica menstrual. osteoartrite e artrose, tendinite crônica, epicondilite crônica, dor pélvica crônica, dor pélvica crônica (endometriose), dor refratária, fasceíte plantar, síndrome do túnel do carpo, bursites e fribromialgia. 

Contraindicações: não deve ser usados em portadores de marca-passo ou desfibrilador, em pacientes com próteses metálicas, em dor de causa desconhecida, em quadros dolorosos provocados por apendicites, hepatite e gastrite, por gestantes, sobre as mamas ou artéria carótida (pescoço) e na região frontal da cabeça. 

* matéria completa na MÁXIMA de agosto. 
ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI