Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Saúde e Bem Estar » É preciso cuidar de si

Emoções de fim de ano podem afetar o coração! Cardiologista diz como e ensina maneiras de evitar que o órgão se sobrecarregue nessa época

Não só as emoções boas, mas principalmente as ruins também, como o estresse, podem gerar consequências ao funcionamento do corpo

Marina Pastorelli Publicado em 01/01/2021, às 11h00

É preciso cuidar do coração, um dos órgãos mais importantes do nosso corpo!
É preciso cuidar do coração, um dos órgãos mais importantes do nosso corpo! - Freepik

Esse fim de ano está sendo diferente dos anteriores. Após um período de tanto estresse mental e físico, medo, inseguranças causadas pelo coronavírus e tantos percauços na vida profissional e familiar, 2021 vem com uma promessa de dias melhores. É como um grito de socorro, não é mesmo?

Mas toda essa carga emocional depositada nos últimos dias do ano pode ser prejudicial ao corpo, principalmente o estresse, presente na maioria das famílias brasileiras.

Hélio Castello, cardiologista intervencionista e diretor do Grupo Angiocardio, nos contou como esse estresse, esse medo e esses sentimentos confusos do fim de ano podem afetar um dos nossos órgãos mais importantes: o coração.

"O ser humano está exposto às emoções e ao estresse frequentemente desde seu nascimento, visto que o próprio ato de nascer é um estresse, pois a criança abandona o estado de equilíbrio e conforto que tem no interior do útero para se expor aos efeitos agressores do meio ambiente, que variam desde a luz, até frio e dor", iniciou.

Ele contou que apesar de desconfortáveis, muitas vezes, o estresse e essas emoções são importantes para a sobrevivência do ser humano, porque eles acabaram criando condições para que todos se adaptem aos momentos mais distintos da vida. Mas é preciso tentar ter controle desses sentimentos!

"Quando nos deparamos com uma situação de maior estresse, nosso organismo se prepara para a defesa produzindo hormônios que contraem nossos vasos e aumentam nossa frequência cardíaca, elevando os níveis de pressão arterial, aumentando o consumo de oxigênio pelo coração e cérebro, deslocando parte maior de sangue para os órgãos nobres", explicou.

"Toda esta adaptação é fundamental para sobrevivermos bem, porém se estes estímulos forem constantes e crescentes, podem provocar níveis altos da pressão arterial diariamente, com maior acúmulo de glicose no sangue, no intuito de melhorar o aporte de calorias, desencadeando a descompensação do diabetes, tudo isso causa maior agressão aos vasos com um status inflamatório crônico, causando disfunção do endotélio, que é a camada de células que recobre e protege a parede interna dos nossos vasos, facilitando o acúmulo de gorduras, diminuindo a elasticidade e calibre das artérias, propiciando maior risco de infarto e AVC", também pontuou.

PREVENÇÃO

Não é fácil gerir as próprias emoções, mas é preciso tentar. Há profissionais especializados nisso, como os terapeutas e psicólogos, que estão prontos para ajudar a quem precisar.

Além disso, a dica do doutor Hélio Castello é que "tenhamos condições de mesclar momentos de maior estresse e emoção com momentos de descontração, repouso e relaxamento, para quebrarmos a sequência que poderá romper nossa capacidade de adaptação e equilíbrio".

Em 2021, pense em você! Cuide mais de si, é a sua oportunidade.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI