Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Teste: Descubra qual é o seu perfil e realize os ajustes para viver melhor

A sua atitude é saudável? A maneira como você se comporta tem influência direta nas suas escolhas alimentares

Máxima Digital Publicado em 02/02/2015, às 12h03 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

A sua atitude é saudável?
A sua atitude é saudável? - Shutterstock
Chegue ao final deste caminho, descubra qual é o seu perfil e realize os ajustes necessários para viver mais e melhor

DETALHISTA
Antes de comprar cada produto, você lê o rótulo com atenção. Além disso, sabe exatamente quanto deve consumir de carboidratos, gorduras, proteínas... A parte chata é que essa preocupação toda pode ganhar status de paranoia e fazer você abrir mão de bons momentos, como aquela superfesta. Para você, se ver cercada de coquetéis e salgadinhos tentadores nem pensar, não é?  “Alimentar-se não é apenas uma questão fisiológica. Se fosse, bastava ingerir uma porção de comprimidos. Comida também está relacionada ao prazer, à celebração. É preciso permitir-se aproveitar essas outras facetas”, diz Samantha.

Ganhe saúde: está na hora de olhar para si mesma com mais compaixão. “Ter uma refeição descontraída, uma vez por semana, não é pecado. Pelo contrário, é um mérito que você deve se dar por não ter saído da linha todo o resto do tempo. O mesmo vale para um bombom de vez em quando: ele não vai arruinar a sua saúde ou a sua boa forma se você seguir uma dieta equilibrada”, ensina Paula Castilho. Que tal investir na lei da compensação? “Reduza a metade das calorias do almoço quando for jantar fora. Assim, você se sente livre para comer sem extrapolar a cota de calorias”, orienta Paula. Relaxar um pouco também é uma questão de saúde. Uma pesquisa da Universidade Carnegie Mellon (EUA) mostra que o stress crônico duplica o risco de você ter um resfriado. Então, pegue leve!

ALERTA Sem essa de negar todos os convites para almoçar com a turma do trabalho só porque você levou uma marmita estrategicamente elaborada. “O controle obsessivo  pode facilitar a incidência de  transtornos, como a bulimia e a compulsão alimentar”, afirma Paula.

EQUILIBRADA
Você reconhece a importância da alimentação correta, adota esse princípio nas suas refeições, no entanto, não se priva de uma boa sobremesa ou uma coxinha de vez em quando. Para completar o pacote saudável, dorme bem e pratica atividade física. “Uma tática bacana é pensar no total de calorias que você pode consumir no dia, utilizando 80% desse valor para se alimentar bem e 20% desfrutando algo gostoso, como um chocolate ou drinque. Quem precisa perder peso pode adotar a proporção de 90 por 10%”, sugere Samantha. Mas alto lá: mesmo com todo esse equilíbrio, você corre certos riscos. O principal deles é replicar comportamentos não muito saudáveis, já que você tem uma tendência a focar em hábitos. Daí, pode acabar repetindo certos erros dia após dia.

Ganhe saúde: pessoas com o seu perfil costumam acreditar que, por serem saudáveis, alguns alimentos ficam totalmente liberados na dieta. “Todo excesso é ruim. Azeite e castanhas, por exemplo, oferecem ótimos nutrientes, mas são bastante calóricos. O mesmo vale para os sucos de fruta. Muita gente acha que eles substituem a água, mas não é assim. Eles reúnem de 80 a 200 calorias por copo”, pondera Paula. Outro ponto de atenção: a variedade. Até mesmo uma refeição magra e saudável, como peixe com salada verde, se consumida todo dia, pode acarretar problemas decorrentes de deficiências nutricionais.

ALERTA Controle a sua tendência a colocar apenas o que já conhece e aprova no carrinho do supermercado ou na sacola da feira. Desafie-se a experimentar pelo menos um vegetal novo (ou que você não come há tempos) toda semana!

DESPREOCUPADA
O seu lema é “deixa a vida me levar” e você se joga nas situações sem pensar duas vezes. O impacto disso? “Tudo vira desculpa para escorregar na alimentação. A sua tendência é fazer as escolhas pelas coisas que a atraem, sem pensar no valor nutricional e nas calorias”, diz a nutricionista Paula Castilho (SP), da Sabor Integral Consultoria. Para você, tudo é permitido: comer uma barra de chocolate gigante vendo filme em casa, tomar várias cervejas na companhia dos amigos, aceitar o segundo pedaço de bolo naquela festinha... Mas como toda ação tem consequência, pode amargar aquela sensação de estufamento, dor de estômago, ressaca, sem contar a constante falta de energia, já que alimentos nutritivos são menos frequentes na sua dieta.

Ganhe saúde: para contornar os seus impulsos constantes, a nutricionista Samantha Macedo* (SP) propõe planejamento. E ele começa na hora das compras, com uma lista recheada de itens saudáveis. “Procure ter essas opções sempre à mão, caso contrário você vai se render ao que já vem pronto, como os salgadinhos”, diz. Deixe o que puder preparado para o uso: frango e carne congelados; salada lavada; biscoitos integrais na despensa, no lugar dos recheados; frutas secas na gaveta do trabalho... “Se for difícil controlar as quantidades, divida os alimentos em porções para cada refeição”, ensina Samantha.

ALERTA O foco na hora de comer faz a diferença. Mesmo que você esteja numa happy hour, preste atenção em cada petisco, garfada ou gole que ingerir. Alimentar-se ouvindo música ou em frente à TV também é má ideia: pesquisas mostram que essas distrações nos levam a cometer excessos.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI