Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Saúde e Bem Estar / Tristeza e Depressão

Tristeza e depressão podem fazer a pessoa emagrecer? Psicóloga explica como a situação mental pode afetar a saúde física

Recentemente, Tata Werneck e Luísa Mell falaram sobre perda de peso após enfrentarem situações dolorosas

Máxima Digital Publicado em 28/07/2021, às 15h18

Tristeza e depressão podem fazer a pessoa emagrecer? Psicóloga explica como a situação mental pode afetar a saúde física - Freepik
Tristeza e depressão podem fazer a pessoa emagrecer? Psicóloga explica como a situação mental pode afetar a saúde física - Freepik

Tata Werneck contou que perdeu peso desde o falecimento de Paulo Gustavo por estar muito triste pela perda do amigo. 

Luísa Mell está sofrendo devido ao término do casamento que teria acontecido devido a uma traição. 

A psicóloga Raquel Mello explicou como a condição de saúde mental pode afetar a forma física da pessoa. 

Primeiro, a especialista explicou a diferença entre tristeza e depressão. "A causa da tristeza geralmente é algum acontecimento específico, como um luto, a perda de algo ou uma frustração. Já no caso da depressão, não há um motivo específico. A tristeza é um sentimento normal e não afeta a sua produtividade. Mesmo triste, você consegue fazer as tarefas simples do dia a dia.", disse.

Dra. Raquel disse que é possível que a pessoa que enfrenta essas situações passe por uma perda de peso. 

"Verdade. Alterações de peso e apetite são comuns na depressão, sendo inclusive um dos marcadores significativos para um diagnóstico. Tanto a tristeza como a depressão diminuem os níveis de dopamina e serotonina, neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e isso leva a uma alteração na alimentação.", explicou. 

A especialista também comentou sobre uma discussão importante na sociedade: o hábito de venerarem e associarem a magreza ao bem-estar. 

Dra. Raquel disse que isso pode influenciar no desenvolvimento de doenças relacionadas a isso: "Infelizmente sim. O que pode reforçar transtornos alimentares como anorexia e bulimia.".

Tata recebeu mensagens de internautas dizendo que ela estava muito magra. A especialista disse que esse tipo de mensagem pode afetar — ainda mais — a autoestima de quem já está passando por situações delicadas. 

"Temos que entender que a pessoa passa por um momento de sofrimento na depressão ou com transtornos alimentares e necessita ser acolhida. Autoestima é o valor que a pessoa atribui a si mesmo, quando ocorrem esses comentários, isso impacta diretamente o que a pessoa pensa sobre si e pode levar a um aumento da autocrítica, levando a uma diminuição da autoestima.", disse. 

Situações como uma separação, como no caso da Luísa, pode ser um gatilho para se sentir triste e depressivo e por consequência emagrecer: "No caso de uma separação ocorre uma tristeza, que pode com o tempo se modificar para uma depressão. E isso, sem dúvida pode ter uma consequência no comportamento alimentar.".

A especialista listou sinas de alerta que as pessoas devem ficar atentas caso estejam tristes ou depressivas e emagrecendo.

"A tristeza é uma emoção normal que irá afetar as pessoas, mas irá passar com relaxamentos, autoconhecimento, auto-perdão e outras técnicas. No caso da depressão é necessário um tratamento com médico e psicólogo.", disse. 

Ela completou: "O ponto central é o prejuízo que a tristeza e a depressão trazem para vida da pessoa. O nível de prejuízo e sua intensidade irá fazer diferença."

Qual a hora de buscar um psicólogo? "Quando o prejuízo social e orgânico estiver aumentando e mudando sua vida. Como deixar de ir a lugares que sempre vai, deixar de comer, perder ou aumentar demais o peso, não ter prazer na vida, deixar de fazer atividades higiênicas.", orientou Dra. Raquel. 

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI