Máxima
Busca
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
LGBT / LGBT

Armando Babaioff sobre censura de beijo gay em novelas: “Que avanço a gente teve?”

Além de comentar sobre o assunto, o ator relembrou seu trabalho de Ti Ti Ti

Máxima Digital Publicado em 07/11/2023, às 15h10

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Armando Babaioff sobre censura de beijo gay em novelas: “Que avanço a gente teve?” - Instagram
Armando Babaioff sobre censura de beijo gay em novelas: “Que avanço a gente teve?” - Instagram

Armando Babaioff participou de uma entrevista no canal de Vincent Villari no YouTube e comentou sobre a importância da representatividade de casais do mesmo sexo em novelas.

O ator comentou sobre Thales, seu personagem na novela Ti Ti Ti, e de seu par romântico Julinho, interpretado por André Arteche. Armando aproveitou o momento para criticar o retrocesso das emissoras ao censurar o beijo gay nas novelas.

“Foi um trabalho já pioneiro na época. A maneira como foi abordado pela imprensa também foi pioneiro. Entrei para fazer o personagem com uma responsabilidade muito grande", disse.

"Aproveitei para fazer do Thales um homem gay que eu ainda não tinha visto ser representado na televisão. Eu não tive uma referência assim na minha adolescência. Todos os personagens gays eram caricatos e as figuras públicas também”, refletiu ele.

“Temos hoje a questão da homofobia, porque no Brasil, realmente, a gente vive num país que mais mata a comunidade LGBTQIPNA+ no mundo. Então tem esse lugar, e por isso que Ti Ti Ti foi muito importante e é importante até hoje”, analisou. 

Sobre a não exibição de beijo gay em novelas, Armando falou: “Ela é atual até hoje, por incrível que pareça. E achei também que é a partir de 'Amor a Vida' (2013) iríamos dar passos um pouco mais rápidos".

"Eu achei que a partir dali a discussão fosse um pouco mais veloz. E aí, recentemente, temos um megassucesso, ‘Vai na Fé’ , que aconteceu em 2023 e que, de repente, veio o ruído… uma cena que não acontece, num relacionamento homoafetivo entre duas mulheres", continuou.

"A gente sabe que aconteceu, mas a cena foi editada. Então que discussão essa? Que avanço é esse que a gente teve?!”, finalizou. 

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!