Máxima
Busca
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Famosos / Bissexualidade

Maria Venture revela que teve que sair de casa aos 18 anos após se assumir bissexual

A influenciadora de 23 anos disse que passou por situações delicadas com a mãe após se assumir bissexual

Máxima Digital Publicado em 23/10/2023, às 17h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Maria Venture revela que teve que sair de casa aos 18 após se assumir bissexual - Instagram
Maria Venture revela que teve que sair de casa aos 18 após se assumir bissexual - Instagram

Aos 18 anos, a influenciadora Maria Ventur se deu conta da sua sexualidade após se apaixonar por uma menina do Rio de Janeiro. Antes da descoberta, a youtuber já sentia algo além de amizade por certas garotas desde criança, mas segundo ela, ainda era muito nova para entender direito. Hoje com 23, ela relembrou o processo frustrante e solitário, principalmente, por conta das brigas que tinha com sua mãe.

“Quando me assumi passei por situações delicadas com a minha própria mãe. Já estava sendo tudo muito difícil dentro da minha mente e me sentir recusada pela minha mãe tornou tudo mais complicado ainda. Ela achava o cúmulo eu sempre ter namorado homens e, de repente, começar a me atrair por mulheres. Eu morava com ela e praticamente todos os dias discutíamos, até que em uma briga ela me convidou a me retirar de casa. No dia seguinte vim para São Paulo para morar sozinha e recomeçar minha vida”, contou.

Apesar dos desentendimentos, Maria disse que, atualmente, tem uma ótima relação com a mãe: “Eu tinha 18 anos, fiquei meses sem conversar com ela. Mas depois tudo se resolveu da melhor maneira. Hoje em dia, além de ser a minha melhor amiga, a minha mãe é a pessoa que mais me apoia”.

Com um debate sobre a sexualidade muito mais difundido em relação ao passado, a influenciadora se diz acolhida e amada por todas as pessoas, além de ser muito bem resolvida consigo mesma. Segundo ela, foi uma questão de paciência e tempo, já que na época ela tinha pensamentos bem limitantes por ter crescido em uma cidade pequena, com costumes e pessoas mais tradicionais.

Hoje, com mais de 6 milhões de seguidores no Instagram, a jovem deu um recado para quem está nesse processo de descoberta e disse que se considera uma voz ativa para as pessoas bissexuais: “Não se prenda a nenhum rótulo por enquanto, vá experienciando e sentindo. Não se julgue nesse processo, tenha o máximo de paciência e carinho consigo mesmo. E se em algum momento sentir que não tem a aprovação de alguém que ama: ‘se abrace forte, respire, e entenda que opiniões são apenas pontos de vistas que podem ser facilmente mudados”.

"Me considero uma voz, mas se ainda não sou, quero que isso faça parte do meu propósito. Precisamos naturalizar nossa sexualidade cada vez mais, para que nas próximas gerações isso não seja mais um tabu. Não tem nada de errado ou confuso em amar alguém, independente de ser homem ou mulher. Experienciar o amor é uma das coisas mais genuínas que podemos fazer nessa vida! E se depender de mim, vou plantar essa sementinha por todos os lugares que eu passar”, finalizou.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!