Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Fernanda Vasconcellos fala sobre sua carreira e personalidade

Aos 30 anos já conquistou muito mais do que uma carreira de sucesso. Digna de admiração, a maturidade da atriz foi construída graças à sua habilidade de refletir sobre a vida e sobre si mesma. Inspire-se nela e comece o seu projeto renovação

Máxima Digital Publicado em 30/04/2015, às 17h06 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

fernanda
fernanda - Máxima Digital
A equipe de MÁXIMA não parou de trocar impressões sobre Fernanda Vasconcellos enquanto esperava a atriz chegar para esta sessão de fotos. Além de falarmos sobre a beleza incontestável da estrela — especialmente dos seus expressivos olhos azuis — um comentário unânime foi de que ela deveria ser tímida, como as suas personagens mais marcantes da TV. Na hora combinada, Fernanda chegou para derrubar a nossa teoria. Sim, porque de introspectiva a morena não tem nada: ela fala alto (e muito!), ri de maneira contagiante e faz piada de tudo. “Sou extrovertida e sociável. Só me recolho quando enfrento um momento difícil ou depois que termino um trabalho, porque preciso filtrar as características da personagem que vou absorver e as que eu vou descartar”, explica. “Já me aconselharam muitas vezes ‘você tem que se mostrar mais, aparecer!’. Pergunto: aparecer para quem? Falar quem? Falar o que? Não sei e nem pretendo forçar a barra para estar em evidência.”

Dona do próprio nariz
O recolhimento, que Fernanda tanto preza em determinadas situações, está embasado num dos seus mandamentos para ser feliz: assumir as rédeas — e, consequentemente, a responsabilidade — da própria vida. “Primeiro acerto os ponteiros comigo mesma para depois administrar os
conselhos e as opiniões de fora”, afirma. Essa habilidade, no entanto, nem sempre fez parte da vida da atriz. Embora participasse de comerciais desde os 13 anos e tivesse a certeza de que queria seguir a carreira artística, ela se deixou levar pelos apelos do pai e abriu mão da faculdade de artes cênicas. “Ele dizia que eu precisava ter um plano B, que a TV não me daria estabilidade. Acabei cursando quatro anos de direito. Só larguei quando comecei a gravar Malhação (2005)”, lembra. O início da carreira coincidiu com outra mudança significativa: Fernanda teve que deixar a casa dos pais para morar no Rio de Janeiro, onde aconteciam as gravações da novela. “Foi muito difícil. Eu chorava, não conseguia dormir. Hoje agradeço por essa experiência,que me impulsionou para a mudança mais significativa que tive nesses anos. Fui entendendo que o amor não é sinônimo de necessidade ou dependência, que eu posso estar longe que está tudo certo”, observa. Por falar em trabalho, Fernanda confessou que não vê a hora de voltar às novelas — espera a definição da Globo para descobrir qual será o seu próximo papel. Por enquanto, sabe que, entre setembro e outubro, estará nas telonas no filme Pequeno Dicionário Amoroso 2, no qual dará vida à Alice, uma jovem bissexual.

Bem na própria pele
Os 30 anos coroaram a fase de maturidade emocional que Fernanda tanto busca e valoriza. “Nessa idade, você adquire segurança para assumir
quem você já era aos 15, aos 20. Nessa época a gente fica tentando se enquadrar. Mais velho, você é o que é e ponto final”, diz. Apesar de comemorar os avanços pessoais, a estrela diz que nem tudo são flores. “Ainda sou ansiosa e preocupada. A gente não deixa as nossas características de lado, mas aprende a lidar com elas”, pondera. Sobre a relação com o próprio corpo, Fernanda diz que a sua única prioridade é controlar a ingestão de carboidratos. “Me sinto mais leve quando priorizo outros alimentos”. Para queimar calorias, manter o metabolismo ativo e desenhar curvas, ela corre sempre que pode e faz hot ioga quatro vezes por semana — a prática consiste na realização das posturas numa sala aquecida a 42 ºC. “A corrida me ajuda a relaxar e a ioga trabalha a concentração”, comenta. Interessada em atividades que envolvem corpo
e mente, Fernanda nos adiantou que irá se matricular em aulas de esgrima ou arco e flecha. Diferente, não? “Li que essas atividades são ótimas para combater o medo, por exigirem uma ação ou uma reação bem rápida, instintiva. Vai me ajudar muito”, garante.
ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI