Máxima
Busca
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Saúde e Bem Estar / Miomas uterinos

Miomas uterinos: Especialista tira principais dúvidas sobre a condição

O ginecologista César Patez falou sobre miomas uterinos

Máxima Digital Publicado em 29/09/2022, às 15h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Miomas uterinos: Especialista tira principais dúvidas sobre a condição - Freepik
Miomas uterinos: Especialista tira principais dúvidas sobre a condição - Freepik

A incidência de miomatose uterina nas mulheres é alta, pode chegar a 80%, se você não tem mioma, provavelmente conhece alguma #mulher que tem. Mesmo que não cause sintomas, não há necessidade de tratamento. Portanto, é preciso de acompanhamento médico. O ginecologista César Patez respondeu algumas das perguntas mais frequentes entre as pacientes.

1. Mas o que é mioma?
"Os miomas são tumores benignos do útero, originados de uma única célula ou seja é monoclonal.", disse ele.

2. Onde estão localizados?
"O mioma pode se localizar na serosa do útero que é a parede externa sendo chamado de subseroso , quando se localiza na espessura muscular é conhecido como intramural, o que ocupa a parte interna do útero, ou seja, cavidade endometrial e denominado submucoso. Temos também aqueles em parturição que se situa no canal cervical e os miomas intraligamentares que se localizam entre as tubas uterinas, ligamento ovariano e tubas uterinas.", explicou o especialista.

3. É um câncer?
"Não, o mioma é um tumor benigno do útero e é muito raro a chance de se tornar câncer. Devemos tomar cuidado somente em casos onde o seu crescimento é muito rápido em período curto de tempo.", falou o médico. 

4. Como surgem?
"A causa ainda é desconhecida. Porém, surgem no período fértil da mulher, onde há uma incidência maior na raça negra e fator genético envolvido. Mas sabemos que é originário de uma única célula seu crescimento e dependente de fatores hormonais, diminuindo de tamanho na menopausa.", disse.

5. Quais são os sintomas dos miomas?
O ginecologista falou: "Os sintomas são variados, ou seja, depende do tamanho, quantidade e topografia do mioma, mas costuma causar menstruação irregular com aumento do fluxo, hemorragias, cólicas menstruais intensas, dores na relação sexual, sensação de estufamento abdominal.".

6. A mulher pode engravidar?
"Sim, a maioria dos miomas não causa infertilidade, porém vai depender muito do tamanho, localização e quantidade, os miomas submucosos são os que mais podem interferir na fertilidade.", disse.

7. Como é o diagnóstico?
O médico falou: "O diagnóstico pode ser feito pelo exame físico, mas a ultrassonografia pélvica transvaginal é o exame mais utilizado para confirmar e excluir outras patologias.".

8. Tem tratamento?
"Sim, o tratamento é individualizado e existem muitas opções que vai desde a observação, uso de contraceptivos hormonais, Dius hormonais, implantes subcutâneo, análogos de GnRH e em casos mais graves a cirurgia de miomectomia nas pacientes que desejam gestar e histerectomia nas pacientes que já tem prole constituída.", falou.

9. E como é o tratamento cirúrgico do mioma?
"O tratamento cirúrgico pode ser por ablação, em casos mais leves , Miomectomia minimamente invasiva, ou seja, por via laparoscópica ou assistida por robótica nas pacientes que desejam engravidar e histerectomia nas pacientes com prole constituída. Sabemos que a via minimamente invasiva contribui bastante na recuperação do paciente por causar menos dor e tempo de internação, retorno rápido ao trabalho, menor uso de medicamentos e sem contar o benefício estético.", disse o especialista.

10. É possível evitar?
"O mioma mesmo não tendo uma causa específica, é importante prevenir tendo uma alimentação saudável, praticar atividades físicas regulares e fazer exames de rotina, pois na maioria das vezes é a forma de descobrir o nódulo no início e tratá- lo da melhor forma.", falou.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!