7 passos para mães que querem mudar de carreira

Veja como tomar a decisão de forma mais segura e impacte positivamente a vida das crianças

Diane Neubüser

Entrar em um consenso com o seu parceiro ou quem ajuda a educar as crianças é essencial para a sua mudança de carreira. | <i>Crédito: Foto Shutterstock
Entrar em um consenso com o seu parceiro ou quem ajuda a educar as crianças é essencial para a sua mudança de carreira. | Crédito: Foto Shutterstock

Muitas pessoas desistem de mudar de trabalho e trocarem a sua rotina porque tem um ou mais filhos que são seus dependentes. Se veem infelizes nas suas profissões, porém “presos” ao salário, benefícios e estabilidade que uma empresa pode dar. Pensando nisso, a CEO da Minds Idiomas, Leiza Oliveira, elaborou 7 passos para que mães tenham coragem de mudar de carreira. Leiza é dona de mais de 70 escolas, tem dois filhos e já ajudou milhares de colaboradores a mudarem suas vidas profissionais, mesmo com outras responsabilidades:

1. Divida bem o seu tempo: Tenha cuidado com a procrastinação

Ter filhos, cuidar de uma casa, manter uma boa escola, e ainda pesquisar. Sim, é possível. Faça um esquema de separação do seu tempo (pode ser em uma planilha do Excel ou uma agenda). O importante é checar as arestas do tempo que “sobra” na sua rotina. Use esse tempo para garimpar sobre a carreira que quer seguir. Cheque empresas, universidades e/ou mercado que quer entrar.

2. Pense bem em que função você se enquadra dentro da carreira que quer seguir

Ok, você já fez a lição 1 e pesquisou sobre os locais em que pode atuar na carreira que quer seguir. Agora, estude qual função que você se encaixa melhor. Por exemplo: um matemático pode atuar dentro da sala de aula ou como um BI (Business Inteligence) em uma empresa de tecnologia. Esta etapa consiste em você refletir e enxergar quais atividades quer exercer na carreira.

3. Converse com pessoas que estão na função profissional que você quer exercer

Depois de decidir qual é a área que você gostaria de atuar, comece a conversar com pessoas que já atuam nela. Pergunte quanto ganham, qual é o nível de stress, dedicação e satisfação com o trabalho e quais são as perspectivas de futuro nessa função. De posse dessas informações vai ser possível confrontar com a realidade da suas contas e despesas com filhos, casa e etc.

4. Planilhe seus gastos e o que recebe

Esse conselho parece óbvio, mas não é. Ter um ciência do seu fluxo de caixa (o que entra e o que sai da sua conta) é uma tarefa árdua para a maioria dos brasileiros. Isso porque não somos uma sociedade treinada para checar finanças. Prova disso é que não temos essa disciplina na escola letiva. Logo, cheque os seus gastos com as crianças, educação, saúde, vestimenta, alimentação, entretenimento, aluguel/hipoteca, manutenção do lar, etc. O ponto nesse passo é confrontar os benefícios que você recebe como auxílio creche e/ou vale alimentação, salário e checar como substituir esses benefícios caso troque de carreira e/ou diminua o salário que vai receber.

5. Converse com o seu parceiro ou/e com quem lhe ajuda a criar as crianças

Você já fez todo o planejamento financeiro, de tempo e decidiu a carreira e função que quer seguir. Agora é o momento de mostrar tudo que pesquisou ao seu parceiro ou/e para quem lhe ajuda a criar as crianças. Dialogar é algo necessário, primeiro porque você vai precisar de um apoio para essa mudança. Depois, vocês precisam ver juntos como as contas vão ficar. Se dá para reduzir o valor pago na escola, comprar materiais didáticos mais baratos, roupas mais em contas nos bazares, pesquisar os preços dos alimentos antes de comprá-los, ir a feira, enfim reduzir os custos. Caso você crie as crianças sozinha é possível também seguir esse passo, mas nesse caso pesquise onde você pode reduzir com as despesas básicas. Além claro de conversar com os seus filhos sobre a decisão. É importante deixar claro que a sua felicidade interfere na deles e vice-versa.

6. Coloque o plano de tempo em prática

Neste sexto passo chega o momento de você conversar na empresa em que trabalha. Tente um acordo e seja transparente sobre a sua insatisfação da função que exerce e em quanto tempo deseja sair. Muitas empresas estão abertas ao diálogo principalmente se você é um bom funcionário e está sendo honesto quanto a aptidão. Nesse meio tempo faça as suas atividades com excelência e vá poupando o quanto poder.

7. Comece de novo

Começar uma nova carreira exige paciência e persistência. Se você chegou no passo 7 é porque seguiu adiante e passou por todas as difíceis etapas até aqui. Vença os seus medos, comece de novo e seja feliz no seu dia a dia no trabalho. Isso refletirá no convívio com as crianças e mesmo que o padrão de vida de vocês diminua, a felicidade e tranquilidade diária refletirá no seu lar.

18/05/2017 - 09:00

Conecte-se

Revista Máxima