Entenda como conquistar a autodisciplina

O segredo pode estar nas preferências e habilidades de cada um

Gabriella Gouveia

Adapte as tarefas às suas preferências, habilidades e possibilidades. | <i>Crédito: Shutterstock
Adapte as tarefas às suas preferências, habilidades e possibilidades. | Crédito: Shutterstock

Com certeza você já ouviu conselhos como “se você não tem disciplina, não tem êxito”, “o segredo do triunfo é não ter preguiça e acordar às 5h da manhã” ou “pessoas bem-sucedidas praticam esportes todos os dias”. Hoje, existe uma infinidade de discursos prontos com a fórmula do sucesso nos incentivando a agir como robôs para conquistar a autodisciplina. O especialista em gestão de tempo, Christian Barbosa conta a forma ideal para obter essa conquista. “É preciso conhecer a si mesmo e entender que as melhores tarefas são aquelas que você é capaz de realizar”, explica.

 Se você não consegue acordar às 5h, acorde às 8h. Se você não gosta de ir à academia, faça yoga, meditação ou qualquer outra coisa. O grande problema das pessoas tem sido o esforço excessivo que elas fazem para se adaptar a uma realidade da qual não gostam. Para o especialista, a famosa expressão “no pain, no gain” (“sem dor, sem ganho”) dos americanos é uma grande besteira.

 Não se comporte como um robô. Entenda quais são as coisas que te levam ao ganho sem precisar, necessariamente, “sentir dor”. Adapte as tarefas às suas preferências, habilidades e possibilidades. Uma dica para isso: quando escolher uma atividade, execute-a por pelo menos 30 dias para entender se você vai se adaptar a ela ou não. Quando você diz que pretende destinar um tempo para leitura diária, por exemplo, fica bastante motivado nos cinco primeiros dias, mas depois a tarefa “perde a graça” e você começa a pensar em desistir. E se você supera a “fase da desistência”, a atividade em questão passa a parecer mais leve, mais natural. Essa é, sem dúvida, a melhor forma de exercitar a autodisciplina.

 De acordo com Barbosa, devemos administrar o tempo para usá-lo da forma que for melhor para cada um. “Ande mais e corra menos. Quem corre muito não aproveita a vida e não consegue organizar seu tempo de forma inteligente”, conta.

 

 

31/01/2017 - 11:00

Conecte-se

Revista Máxima