Luciana Gimenez afirma que ser dona de si mesma é o segredo para sorrir

Luciana Gimenez já desistiu da (ilusória) missão de agradar a todos e coloca a própria paz de espírito à frente de qualquer coisa. Para ela, esses são os segredos da felicidade e da realização em todas as áreas

Texto: Patrícia Affonso

Luciana Gimenez | <i>Crédito: Danilo Borges
Luciana Gimenez | Crédito: Danilo Borges
Irreverente - daquelas que falam o que vem à cabeça —, engraçada e polêmica. Assim é a apresentadora Luciana Gimenez, 47 anos. No entanto, há muito mais por trás dessa mulher de personalidade complexa, como ela mesma se define. “Acho que a coisa mais marcante em mim é o amor pela liberdade. Não tolero nada que me sufoque, que limite as minhas opções. Por isso, comecei a trabalhar cedo e tinha muita resistência em me casar”, conta. Ícone de beleza, dona de uma carreira consolidada e de uma união feliz com Marcelo de Carvalho, 55 anos (proprietário da Rede TV!), mãe do Lucas, 17 anos, e do Lorenzo, 5 anos, a morena falou à MÁXIMA sobre sonhos, religião, idade e boa forma num bate-papo exclusivo Confira!

INÍCIO DA CARREIRA
“Quando eu tinha 15 anos, fui convidada para atuar como modelo em Paris, na França. Eu já fazia algumas coisas por aqui, mas era muito jovem e não rolou ir embora. No ano seguinte, recebi o convite novamente. Contei para a minha mãe com a passagem já comprada. Ela não aceitava de jeito nenhum, mas enchi tanto a paciência dela que acabou cedendo. Ser modelo não era um sonho, eu nunca fui do tipo aparecida. Porém queria ganhar o meu próprio dinheiro e me pagavam para modelar, então embarquei.” 

TELEVISÃO
“Em 2000, eu estava morando em Nova York e soube de um casting para apresentadora da Rede TV! Eu ia passar pelo Brasil e minha mãe me incentivou a tentar a vaga. Me saí mal no teste, mas fiz alguma coisa engraçada, então perguntaram se eu não queria refazer. Topei, afinal não tinha nada a perder. Os produtores falaram: ‘Essa mulher é hilária, vamos colocá-a no programa’. Assim, fui para o Superpop. Fiz um contrato de três meses para experimentar. Fui curtindo, ficando e já estou na emissora há 15 anos.” 

CRÍTICAS
“Se eu disser que o início da minha carreira na TV foi difícil, estarei forçando a barra. Essa coisa de o povo falar mal? Não ligo! Críticas construtivas são bem-vindas, e as do mal eu descarto. Acho que, quando você está fazendo o seu melhor, tem que ficar em paz. Tenho tolerância comigo mesma nesse sentido. Todo mundo tem o direito de errar, faz parte. Outra coisa: não caio na cilada de me desagradar para agradar aos outros.” 

BRASIL
“Morei fora durante uns 15 anos. O desafio é viver aqui no Brasil, onde a gente sofre com violência, insegurança e vê o povo aflito sem saber como vai fechar o mês. Apesar disso, ao pensar em ir embora hoje, sinto uma resistência grande. Sou cercada de gente do bem e é complicado construir tudo isso de novo. Digo que o Brasil vicia, porque é um país de pessoas bacanas, amáveis, solícitas. Aqui existe um carinho a mais.” 

FAMA
“Quando estreei na TV, tive um problema de ansiedade, sofri de ataques de pânico. Talvez pela mudança de vida brusca, o fato de deixar meus amigos em outro país. A fama, em si, para quem sabe lidar, não é um problema. Penso que ter o amor de tanta gente não pode ser ruim. Sempre tem aqueles que não gostam de você, mas em toda profissão você está sujeito a isso. Faço tudo o que quero, só preciso de algumas adaptações.” 

IOGA
“Comecei a praticar há uns 13 anos, por causa de um tombo. Tinha muitas dores nas costas e alguém me indicou a modalidade. Além da questão física, a ioga me ajuda na busca pela paz e o equilíbrio. As pessoas, no geral, ficam muito na negação da realidade. Eu sou do outro extremo, que prefere saber, ver. Mas aí eu tenho que lidar com a verdade. A ioga dá aquela centrada. Também faço terapia há uns sete anos. A evolução pessoal é um trabalho árduo e que nunca termina.” 

MATERNIDADE
“Os meninos são muito diferentes. O Lucas é calmo, tímido, amoroso. O Lorenzo é um furacão! Ambos são maravilhosos. Quando a gente vira mãe, vê que o coração é enorme e que é possível admirar qualidades opostas. O maior desafio da maternidade é entender que o filho não é seu, e sim do mundo. É difícil saber em que momento deixar as coisas rolarem sozinhas, saber como não invadir a privacidade, ter que ver o sofrimento do seu filho e não interceder porque a experiência é dele. Apesar disso, acho que estou me saindo bem. Sou uma mãe muito atuante.” 

ENVELHECIMENTO
“Preferiria ter parado de envelhecer aos 30 anos. Todo mundo fica falando que é legal envelhecer, mas, sinceramente, para com isso! Que parte é legal? A cabeça que amadurece? Eu acho que uma certa ignorância, no contexto certo, é muito boa também. Hoje, tenho mais paz, meus valores estão mais sólidos, mas e o resto? A dor no pé e nas costas, a falta de energia... Não tem comparação! A única parte positiva é que você é mais verdadeira. Os filtros todos vão sumindo.” 

PERSONALIDADE
“Sou obcecada pelas coisas que eu quero. Acho isso ótimo, porque, quando você deseja algo, não pode ficar no meio-termo, tem que ir com tudo. Também sou muito justa. O que não gosto na minha personalidade é o ciúme. Não só em relacionamento mas com o trabalho, as minhas coisas... O problema não é a atitude: eu sou controlada, não faço barraco, nada disso. Mas a sensação, o tormento que isso causa na gente é muito ruim.” 

CASAMENTO
“Tenho essa fantasia de ser livre, por isso casar nunca foi uma vontade. Mas aí, você se apaixona e dança! Já estou casada há dez anos. Acho que a nossa relação funciona por conta da admiração. O Marcelo é um cara culto, um ótimo pai, mas superexigente. Nós nos completamos até na maluquice de sermos difíceis, temperamentais.” 

BOA FORMA
“Tento fazer atividade todos os dias (ioga, pilates, exercícios funcionais e aeróbicos). Tenho muita energia e, se fico parada, surto. A disciplina é essencial, porque, com o passar dos anos, o resultado de um trabalho duro some rápido. Minha alimentação é bastante saudável e regrada, com muitos vegetais e proteínas magras. Mas sou oito ou oitenta. Quando viajo, exagero no carboidrato. Chocolate, bolo e pão me tiram do eixo.” 

RELIGIÃO
“Acho que as pessoas falam muito desse assunto, mas ninguém se ajuda. A religião que eu ensino para os meus filhos é fazer o bem. Se você puder tornar a vida de alguém melhor naquele dia, faça! Está faltando empatia no mundo. E respeito à crença do outro: para que tanto ataque?” 

SONHOS
“Não tenho nenhum desejo material para o futuro, no entanto há coisas que eu ainda quero realizar na minha carreira sobre as quais mantenho sigilo. Acho que, quando a gente para de sonhar, de sentir aquele friozinho na barriga, morre. Sou muito realizada, só tenho a agradecer. A única coisa que eu posso pedir é saúde: para trabalhar, estar com a minha família e viajar, que é o que eu mais amo fazer na vida. Estando bem, a gente corre atrás de qualquer coisa.” 

TEMPO LIVRE
“Gosto de coisas simples, como estar com as crianças e assistir Netflix com meu marido. Agora estamos acompanhando a série Kings, que é ótima! Ah, também adoro quando ele cozinha. Ver toda aquela comida e não comer, ficar calculando quantas calorias eu não ingeri (gargalhadas). Adorooo!”

15/02/2017 - 12:39

Conecte-se

Revista Máxima